Publicidade

Agregando valor

por Rodrigo Goyanna

posicionamento

O jeito Apple de tratar os amantes da marca

Por rodrigogoyanna em branding, Marketing

02 de junho de 2018

Cena Real. Domingo 3pm na Applestore do Montgomey Mall em Bethesda, MD, USA: “Eu amoooooo esse modelo de Ipod”, diz uma efusiva garota. Inesperadamente, uma sorridente funcionária surge rebatendo: “nossa marca também ama você”.

Não se trata de um discurso leviano. A Apple ama amar seus clientes, porque o foco no consumidor norteia cada decisão ou estratégia adotada pela empresa. Isso agrega valor ao produto, o branding que a empresa desenvolve permite cobrar mais por cada aparelho; quer você ame, ou odeie a Apple, não há dúvidas de que você percebe a experiência que a empresa cria, a marca da maçã não vende simplesmente um celular, ela entrega uma experiência de consumo acima da média para o seu cliente. Porque apesar de ser empresa de tecnologia e inovação, a Apple fala a linguagem do cliente desde da etapa de reconhecimento de necessidade e captação de informações, até a fase final do pós-venda.

Cada funcionário da empresa criada por Steve Jobs é na verdade um defensor da marca, e carrega consigo o objetivo de tornar uma simples visita a Apple Store, numa experiência única e inesquecível.

De acordo com o depoimento real de alguns funcionários, a etapa  durante o fim do treinamento denomina-se “get shirtified” – algo como “encamisado”, significa que o funcionário vestiu a camisa da empresa. Esqueçam a camisa, o comprometimento se incorpora a alma através dos valores Apple de ser, uma aula de endomarketing que resulta em produtividade.

Para a Apple, o essencial é invisível aos olhos:  você vale pelo que você pensa. Quando a empresa abandona o status quo de estereótipo de funcionário, e contrata como vendedor o idoso, o jovem tatuado de bermuda, a garota com estilo gótico; ela transmite uma mensagem, “pra nossa empresa, são todos possíveis clientes, prováveis promotores da marca, e nossa maior preocupação é que se sintam confortáveis em serem atendidos por vendedores que transmitam nossos valores como organização, de uma maneira fácil de ser entendida, ou pelo menos mais agradável de ser escutada.” Pra tudo na vida é assim, o diferente geralmente causa estranheza, mas tudo aquilo que se assemelha provoca empatia.

O vendedor precisa absorver a premissa e vender a idéia de um produto simples, como um computador, em um objeto de desejo, com usabilidade amigável; trata-se do famoso mantra dentro da empresa:  keep it simple, uma maneira de garantir que qualquer usuário, de qualquer nível, consiga operar um produto Apple com poucos minutos de interação.

Assim, os consumidores estão dispostos a pagar mais por uma melhor experiência e exclusividade, em fazer parte de um grupo seleto de amantes da marca. Isso justifica em parte o sucesso da Apple em relação às suas concorrentes.

O segredo da empresa é saber quem é verdadeiramente seu público, e identificar exatamente quais são os valores que estes priorizam. Preço é o que você paga, valor, o que você leva. É um processo, valor incorporado a produto, precisa ser percebido pelo visitante, e precisa ser capturado como venda. Valor percebido é importante pra marca, valor capturado é importante pra empresa.

Quer saber se tá dando certo? Pergunta a alguém que acabou de adquirir um Macbook o que ele comprou? Ele nunca vai dizer que comprou um notebook, ele vai estufar o peito e responder com toda emoção, “comprei um Apple”

Em um próximo post, iremos falar mais sobre Branding, Net Promoter Score, Lock in, estratégias da Apple para manter a fidelização de seus clientes.

Publicidade

Afinal, o que é branding?

Por rodrigogoyanna em estrategia, Marketing

19 de Maio de 2018

Se for procurar nos livros, provavelmente vai encontrar que branding são ações alinhadas ao posicionamento, propósito e aos valores da marca que ajudam a construir uma imagem na mente do cliente.

Na prática, branding é quando uma marca se humaniza a ponto de te encantar.

O objetivo do branding, ou gestão de marca,  é não somente conquistar a cabeça do cliente, mas também seu coração. É uma parceria que se inicia a partir de uma variável que te conquistou.

Sempre que trabalhar branding, o objetivo é despertar sensações e criar conexões conscientes e inconscientes, importantes para que o cliente escolha a sua marca no momento de decisão de compra do produto ou serviço. É paixão pela experiência, em qualquer contato com a marca, e não somente na etapa do consumo.

Essas práticas auxiliam na criação de valor além do produto, e o tornam mais especial, aos olhos de do seu publico.  É mais que o produto, é quem a marca é.

 

Uma marca é um conjunto de expectativas, memórias, histórias e relacionamentos que, juntos, são responsáveis por fazer o consumidor escolher um produto ou serviço em vez de outro. (Seth Godin)

Gerenciar uma marca não é tarefa simples, as variáveis estão ancoradas no imprevisível comportamento humano.

No entanto, marcas são ativos que impactam a performance da empresa, de acordo com sua capacidade maior ou menor de mudar comportamentos. Por isso, apesar da dificuldade, há de se admitir quão indispensável é para uma empresa que busca criar uma identidade própria, sempre buscar ações de branding. Para isso, é importantes se pensar em alguns tópicos:

  1. Propósito

O atributo mais comum entre marcas fortes, entre todos os grandes “cases” de branding, é ter uma visão crítica, questionadora, sobre o mercado. Esta prática de branding reverteu a lógica do marketing tradicional, de que o cliente conhece suas próprias necessidades e, portanto, bastava perguntar a ele.

Na verdade, quando todos os concorrentes vão em busca da mesma fonte, e esta fonte responde o mesmo para todos, o mercado chega a um nível paralisante de semelhança entre suas ofertas. Todos começam a fazer igual, sempre ancorados na defesa de que “foi o cliente que pediu”.

Para fugir desta dinâmica perversa, algumas marcas descobriram que poderiam contrariar e questionar o que o mercado dizia.

Quando uma marca conhece seu mercado e tem um propósito, uma opinião, ela tem condições de propor o novo, o inesperado. E é isso que os clientes esperam: um especialista que possa trazer o que existe de novo.

Quando a Natura questionou o paradigma de que cosméticos deveriam esconder a realidade e fazer promessas falsas, ela criou inovação verdadeira. Sua primeira assinatura — “Verdade em cosmética” — traduzia uma crença profunda de seus fundadores. Não era um posicionamento tradicional de mercado, um insight. Toda a empresa estava voltada para entregar esta crença na prática. Como, por exemplo, na revolucionária campanha de Chronos, “Mulher bonita de verdade”, que utilizava modelos reais, mostrando suas idades reais e falando de benefícios verdadeiros de um creme antissinais — não de um “anti-idade. Anos mais tarde, quando a marca concorrente Dove iniciou uma campanha muito parecida, pela “Real beleza”, não era mais inovadora e não chegou perto do impacto de sua concorrente brasileira.

A complexidade desta prática é que ela demanda uma mudança de postura organizacional. Em outras palavras, precisa partir de um visionário, que muitas vezes se encontra na posição de fundador ou acionista. Não é uma prática que o departamento de marketing consiga conduzir de forma isolada. Não se trata de imagem, de comunicação, mas de uma identidade e propósito claros.

2 Experiência — ponto de contato

Uma marca só acontece de verdade e se torna real quando interage e entrega uma experiência a seus públicos, em qualquer que seja o ponto de contato — e não apenas pela via da comunicação.

O branding sempre procura conduzir a marca, de seu pensamento inicial, sua intenção estratégica, até seu “momento da verdade”. Uma marca não existe apenas na cabeça de seus gestores, na intenção de realizar algo ou passar uma mensagem bonita. Ela precisa ir para o mundo real e mudar comportamentos de clientes, prospects, funcionários, investidores, governos, imprensa, entre outros.

Algumas marcas, com o uso intensivo da comunicação, ficam apenas no discurso, em um passo anterior, que é sua promessa. Mas o que chamamos de mundo real? É o momento da entrega concreta de sua promessa, em uma experiência de interação que confirme na prática o seu discurso.

Quando uma marca pensa em experiência, ela olha para múltiplos meios e plataformas. Por exemplo, quando o Shopping Iguatemi pensa em uma experiência superior de varejo, olha além da comunicação publicitária. Tudo se volta para a interação com o cliente: suas lojas, espaço físico, sinalização, conceito, anúncios, fachada, segurança e serviços. E vai além: estar no Iguatemi é fazer parte de um estilo de vida, de um jeito de ver o mundo e se relacionar.

3 Pensar em vários públicos ao mesmo tempo

Uma grande mudança de nossa época, alavancada pela tecnologia da informação e convergência de meios, é a obrigatoriedade de atuação com diversos públicos ao mesmo tempo.

Foi-se o tempo em que as empresas decidiam falar com um público e ignorar os demais. Atualmente, as pessoas passaram a assumir, de forma natural, diferentes papéis em sua relação com as marcas. Alguém pode ser cliente e ao mesmo tempo um formador de opinião, um jornalista. Pode ser um colaborador e um investidor.

Por isso, a marca se torna importante, como origem e referência comum de todas as mensagens. Não importa com quem a empresa esteja falando, não importa a situação: a mensagem precisa fazer sentido e ser consistente para qualquer público. Sem uma mensagem alinhada, a marca corre o risco de se tornar “esquizofrênica”, enviando mensagens diferentes para cada público — por exemplo, dizer aos colaboradores que precisam se esforçar mais porque será um ano difícil e, ao mesmo tempo, anunciar perspectivas positivas a seus investidores.

A Vale construiu um dos maiores cases de reputação corporativa do Brasil, quando percebeu que sua imagem não deveria ser construída apenas junto ao público tradicional, os clientes. Na verdade, um cliente de minério na China pode dar pouca importância à marca. Mas para operar com segurança, com o “goodwill”, conquistar seus demais públicos, a Vale entendeu e passou a levar sua mensagem de progresso e sustentabilidade a formadores de opinião, governos de todas as esferas, ONGs, colaboradores, mercado de talentos, fornecedores.

4 Linguagem integrada

Perceber que a todo momento sua marca está “con-ver-sando” com seu público é uma prática central em branding. Toda marca possui uma estética, ou seja, emite sinais visuais e de comportamento para seus públicos, buscando construir uma imagem. Esta linguagem aparece na comunicação publicitária, em uma loja, em uma maneira de atender um cliente ou responder a uma reclamação. E em todas estas manifestações, uma imagem está sendo formada.

Quando passa a se preocupar com esta linguagem, uma marca passa
a
olhar para todas as suas manifestações, além da comunicação tradicional. Por exemplo, descobre que o atendimento é uma manifestação estética, ou seja, transmite sinais comportamentais e visuais que contribuem para a consistência de sua imagem.

O Banco Itaú descobriu isso há muito tempo. O alinhamento estético/visual de todos os seus pontos de contato, das agências à sua comunicação digital, garante uma presença de marca ímpar, com reconhecimento imediato. Isso permitiu à marca Itaú alcançar um objetivo de sonho para as marcas: apropriar-
se, imageticamente, de uma cor — no seu caso, o laranja. Hoje quando vemos um filme publicitário utilizando intensivamente a cor laranja, por exemplo, antes de ver o anunciante, sabemos de quem se trata.

5 Relevância de conteúdo

Vivemos em um contexto de excesso de informação e de oferta. Temos muitas opções de escolha para quase tudo que demandamos, mas também muito pouco tempo para exercer estas escolhas.

Por isso o indicador-chave em branding é relevância, ou, em outras palavras, percepção de valor.

Uma marca pode buscar ser conhecida e top of mind, por meio de comunicação intensiva; ou se diferenciar, através de um posicionamento bem definido e pesquisado. Mas isso o ferramental de marketing sabe resolver.

No entanto, entre uma marca conhecida, diferente, genial, engraçada, e uma marca relevante, esta última vai prevalecer. Apenas uma marca relevante pode levar os públicos da empresa, principalmente o cliente, a mudar seu comportamento.

É a relevância que transforma potenciais em futuros clientes reais; que torna um cliente mais leal e permite maiores margens; que atrai e mantém talentos; que transmite confiança a investidores.

A marca Brahma, mesmo não sendo corporativa, soube aumentar sua relevância ao longo dos anos, em um mercado ultracompetitivo. Sua relevância vem através de dois elementos: conexão máxima com seu público, o “brameiro”, desde seu comportamento, seu jeito de pensar, até a presença em seu momento de lazer — o futebol. A Brahma construiu uma posição de relevância e ao mesmo tempo de diferenciação, que são alavancas fundamentais de preferência e, consequentemente, de vendas.

6 Marca e negócio são uma coisa só

Por fim, mais que uma prática, uma das maiores forças que encontramos em marcas de sucesso é o reconhecimento, por parte da alta gestão, de que a marca representa e alavanca o negócio como um todo. É um ativo da empresa, e não uma logomarca gerenciada pelo departamento de marketing.

Quando a empresa se manifesta, em qualquer iniciativa, a imagem de sua marca será impactada, tornando-se a depositária de percepções positivas — ou negativas. A separação tradicional dos objetivos “de negócio” e “de marca” levou a um afastamento da agenda dos presidentes em relação ao pessoal de marketing e comunicação. Mas, apesar de tentar ser didática, esta separação era falsa. Quando um presidente ou diretor de relações com investidores dá uma entrevista,  está contribuindo, para o bem ou para o mal, para a reputação da empresa. E esta reputação é sustentada, referenciada, pela marca.

A noção de que marca e negócio são dois lados da mesma moeda tem levado, por exemplo, o pessoal do departamento de RH nas empresas a falar em branding, em atributos de marca, em posicionamento. Claro: eles são responsáveis por construir a imagem da marca para um público crucial, o público interno.

A Telefonica Vivo tem clareza sobre isso. As diretrizes estratégicas de suas marcas sempre procuram abranger e fazer sentido para todos os públicos. Seus valores são tratados como valores de marca, que devem mudar comportamentos, e não algo abstrato, em um quadro na parede. Isso cria um nível de consistência e atratividade difícil de ser combatido pelos concorrentes

Publicidade

Burger King lança comercial natalino e, novamente, provoca McDonald s com presente

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

26 de dezembro de 2017

A Burger King deu um “presente de grego” a McDonald’s neste Natal. A ação, realizada na África do Sul, enviou uma churrasqueira “com chamas reais” para uma unidade da McDonald’s. Implicitamente (ou nem tanto), a BK diz que os hambúrgueres da concorrente não são feitos no fogo e nem grelhados como os do “rei”. A agência alemã Grabarz & Partner assinou a campanha “The Gift Of Fire”.

Publicidade

Metade dos brasileiros já vê mais vídeos online que TV

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

20 de novembro de 2017

Mais da metade dos brasileiros já passa mais tempo assistindo a vídeos online que assistindo à TV. 56% dos brasileiros com acesso à internet e TV preferem a web em 2017.

A descoberta é de uma nova pesquisa do Instituto Provokers, feita em parceria com o Google Brasil e Youtube.O estudo foi feito com 1500 brasileiros, entre 14 e 55 anos, das classes A, B e C. A amostragem de entrevistados representa 123 milhões de pessoas.

Em três anos, o consumo de vídeos online saltou 90,1%, enquanto o consumo de TV se manteve praticamente estável. 

Já o smartphone se consolidou como principal meio para consumir esses vídeos online: é usado por 83% das pessoas e é preferência de 57% delas.

Além disso, pouca gente se desconecta quando está na frente da TV: 87% continua online enquanto assiste a algo na TV.

Confira os principais resultados da pesquisa:

Quem assiste

86% assistem a vídeos na internet – desses, 99% usam o YouTube

14% não assistem a vídeos na internet

Crescimento: em 2014, apenas 67% assistiam a vídeos online

Em 2014

– Média de 21,9 horas por semana assistindo à televisão

– Média de 8,1 horas por semana assistindo a vídeos na internet

Em 2017

– Média de 22,6 horas por semana assistindo à televisão

– Média de 15,4 horas por semana assistindo a vídeos na internet

Ou seja: o consumo de vídeos online cresceu em ritmo maior que o crescimento de consumo na TV

90,1%: foi o que cresceu o consumo de vídeos na web entre 2014 e 2017.

Mais internet

56% dos brasileiros com acesso a TV e internet já veem mais vídeos online: estes costumam passar, em média, 11,9 horas por semana vendo TV e 13,4 horas por semana vendo vídeos online.

Motivos

E por que ver vídeos online?

– 83% porque busca conteúdo que não está na TV

– 43% porque quer ver um conteúdo que passou na TV, mas não conseguiu ver

– 19% para saber mais sobre um conteúdo que viu, primeiro, na TV

Os preferidos

As plataformas prediletas para assistir a conteúdo online:

– 42% prefere YouTube

– 20% prefere WhatsApp

– 15% prefere Netflix

– 8% prefere Facebook

– 7% prefere TV paga

Publicidade

Nordeste recebe evento “Novos anunciantes”

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

23 de outubro de 2017

ortaleza, de 26 a 29 de outubro, se tornará a capital nacional do “Novos Anunciantes”. Evento que acontece há dois anos e a cada edição em uma cidade diferente do país. Destinado a empreendedores digitais, agências e afiliados e produtos online, tem como o propósito apresentar estratégias que reduzam os custos e aumentem a performance em campanhas de anúncios pela internet. Essa é a quinta edição nacional e ocorrerá no Hotel Oásis Atlântico.

 

Organizado pela catarinense Simplix, agência especializada em tráfego de campanhas de anúncios digitais e única parceira nacional da Digital Marketer, considerada a maior empresa de marketing digital do planeta, o “Novos Anunciantes” vai oferecer aos participantes palestras, mesas redondas, cases de sucesso e workshops exclusivos. Contará com exposições de grandes nomes nacionais e europeus, como Luciano Larossa, Bruno Avila e Kim Archetti, além de nomes de destaque local, como Luciano Farias e Kadu Baracho. “Estamos preparando uma verdadeira jornada empreendedora para quem quer ingressar com o pé direito. Sem dúvida, abriremos a caixa preta para mostrar tudo na prática”, garante Carlos Ramos, CEO da Simplix.

 

A estimativa é a de que 300 pessoas passem pelo local. “Vamos focar no que realmente acontece por trás de uma campanha de anúncios de sucesso. Não importando se ela será feita no Facebook, Google, YouTube ou qualquer outra fonte de tráfego”, analisa Ramos. Para encerrar, será ofertado um jantar para palestrantes, convidados vips, patrocinadores e mentorados do maior programa de formação de empresários do Brasil, o LEADME UP, o jantar tem como objetivo fortalecer o networking desse grupo.

 

Workshops especiais

Nos dias 26 e 27 de outubro, serão ofertados dois modelos de workshops. Um deles focado no público totalmente iniciantes, chamado “Bootcamp Afiliado Profissa”, e o outro com foco naquelas pessoas que já iniciaram seu empreendimento, mas que ainda não obtiveram resultados reais, o Workshop de Tráfego Avançado. “Iremos ensinar como os participantes poderão desenvolver as suas próprias estratégias, no planejamento de tráfego avançado das suas campanhas”, desafia Carlos Ramos.

 

Serviço:

Novos Anunciantes

Local: Hotel Oásis Atlântico, Avenida Beira-Mar 2500

Workshops: 26 e 27 de outubro

26 e 27 de Outubro : Workshop Bootcamp Afiliado Profissa  / 27 de Outubro : Workshop de Tráfego Avançado

Palestras: 28 e 29 de outubro

Mais informações e inscrições: novosanunciantes.com.br

Publicidade

O que é Growth Marketing?

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Foco, Marketing

10 de outubro de 2017

Growth Marketing é uma metodologia que mistura Comportamento do Consumidor, Marketing Criativo, Experimentos e Tecnologia, que ajuda empresas a conquistarem novos consumidores de forma rápida e barata.

Não existe fórmula mágica, mas experimentos. Os resultados desses experimentos é que dizem o que é melhor para sua empresa. Sim, a melhor estratégia para você é aquela que traz mais resultados para sua empresa.

Pra quem quiser conhecer mais sobre o Growth Marketing. Os seguidores do blog terão um super desconto no curso de growth marketing promovido pelo Leonardo Lacerda.

Leo Lacerda é Administrador de Empresas e Mestre em Administração. Com 10 anos de experiência no mercado, hoje é Empreendedor, Pesquisador, Professor e Especialista em Growth Marketing e Comportamento do Consumidor.

É Fundador da Wave Accelerator [antiga 85 Labs Aceleradora] e da Adm School [Escola de Administração para não-administradores]. Também é Consultor em Empreendedorismo e Inovação credenciado pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores [ANPROTEC] e pelo Sebrae [SGC].

 

É certificado pela Digital Marketer [uma das melhores escolas on-line de marketing digital do mundo] nos cursos: Conversion Funnel Optimization, Paid Traffic and Customer Acquisition Mastery, Social and Community Management, Marketing Analytics and Data Science, Content Marketing Mastery, Email Marketing and List Building Mastery, Search Marketing Mastery e Testing and Conversion Rate Optimization

Para ter acesso ao desconto, basta clicar no link abaixo:

Start | Curso de introdução ao Growth Marketing

Publicidade

NET/Claro fecha parceria com a Federação Cearense de Futebol

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

10 de outubro de 2017

resente nos principais e maiores eventos esportivos do mundo, além de ser referência quando o assunto é conectar o público ao universo esportivo, a NET/Claro, fechou parceria com a Federação Cearense de Futebol (CFC), e passa a oferecer os serviços de internet e tv. De acordo com o gerente comercial da Claro Brasil, Gabriel Franco, a parceria prevê a modernização de toda a estrutura de rede e futuramente a instalação de redes de conexão wi-fi para todos os estádios da Primeira Divisão do Campeonato Cearense, além da instalação de redes de conexão sem fio nas Séries B e C do Estadual. “Para nós, da NET e da Claro, é uma satisfação imensa fazer parte de mais uma parceria, desta vez envolvendo o futebol cearense. Tenho certeza que esse tipo de parceria engrandece o nosso futebol, mas também engrandece o Estado, os clubes e a instituição”, explica o gerente comercial da companhia.

 

Sobre a Claro Brasil

A Claro Brasil faz parte de um dos maiores grupos do segmento de telecomunicações do mundo, com presença em 25 países e que garante a conexão de mais de 892 milhões de pessoas.  No Brasil, é líder em convergência com as marcas NET, Claro e Embratel, somando mais de 100 milhões de clientes, com soluções para os mercados residencial, pessoal e empresarial.

Publicidade

Spoleto faz rebranding e entra no segmento de fast casual

Por rodrigogoyanna em branding, Marketing

03 de outubro de 2017

Há quase 20 anos no mercado, o Spoleto se reposiciona e passa a investir no segmento fast casual.  O projeto Minha Cozinha Italiana (MCI) dá o pontapé nessa área buscando reunir preço, rapidez, padrão do produto e atendimento eficiente. O rebranding consiste na mudança da identidade visual dos restaurantes e na apresentação de uma culinária ainda mais italiana, com produtos frescos e de maior qualidade. Os gerentes de todas as lojas estão recebendo treinamento e capacitação para se aproximar da gastronomia por meio do projeto Massima, aumentando a sinergia com os chefs e oferecendo um melhor atendimento ao cliente. O objetivo é se distanciar do padrão fast food que projetou nacionalmente a rede, oferecendo uma nova experiência ao consumidor.

Na pista fria, chegam ingredientes típicos italianos e feitos nos próprios restaurantes, diminuindo as opções industrializadas. Algumas receitas são exclusivas, como o frango marinado em sálvia e manjericão, tomate confitado no azeite trufado e assado em baixa temperatura, cebola caramelizada no vinho tinto etc. Outro ponto alto do novo conceito é a finalização dos pratos com itens adicionais como Presunto de Parma, Azeite de Trufas e Vinagre Balsâmico.

Por se tratar de um processo de transformação estima-se a conclusão nos próximos cinco anos – prazo para as 351 unidades serem totalmente repaginadas. O investimento é a partir de R$ 495 mil para novas unidades e em torno de R$ 150 mil para a conversão das já existentes. Para facilitar na reforma dos restaurantes, a empresa vem oferecendo condições especiais de financiamento por meio de parcerias com alguns bancos para ajudar o franqueado na conversão das unidades.

Atualmente, 24 restaurantes da marca já se enquadram no padrão MCI e vêm apresentando um resultado acima do esperado. Quando comparadas com o resultado geral da rede, as novas unidades apresentam performance 10% superior em tíquetes/produtos e 13% em faturamento na avaliação “acumulado ao ano”. Otimista com o retorno, o Spoleto estima fechar o ano de 2017 com 61 restaurantes no modelo Minha Cozinha Italiana – o equivalente a 20% da rede – sendo 40 convertidos (que migraram do atual formato para o do “futuro”) e 21 novos (que estrearam na franquia ao longo do ano).

O modelo MCI é inspirado no projeto do Spoleto nos Estados Unidos, onde está presente com cinco unidades (quatro na Florida e uma Califórnia) e chegou com uma roupagem diferente da empregada no Brasil.  Lá, a rede entrou com o perfil fast casual, melhorando a experiência dos amantes — e simpatizantes — da culinária italiana. O conceito enaltece essa essência com a entrada de produtos típicos italianos, frescos, preparados no próprio restaurante e com a presença do chef de cozinha na finalização dos pratos.

Publicidade

Novos empreendedores do varejo vão apresentar estratégias para inovar nos negócios em workshop na Faculdade CDL

Por rodrigogoyanna em estrategia, Marketing

25 de setembro de 2017

O novo momento da economia brasileira exige ideias inovadoras que impulsionem a performance e a gestão dos varejistas. Palestras, cursos e workshops são essenciais para se qualificar e aumentar a produtividade. A Faculdade CDL, antenada com as necessidades do mundo dos negócios, tem uma programação diversificada sobre as tendências no mundo dos negócios. Na próxima quarta-feira, 27, às 18h40, a instituição de ensino, com o apoio da CDL de Fortaleza e da CDL Jovem, promove o workshop “Inovação e Varejo”, que contará com cases de sucesso dos novos empreendedores do varejo cearense.

Para abrir o workshop, o coordenador nacional da CDL Jovem, o empresário Pablo Guterres, falará sobre o portal Inova Varejo, onde são apresentadas mais de 50 ferramentas baratas e fáceis de usar e que podem aumentar a produtividade.

Logo após, os participantes vão acompanhar o case de sucesso da Tagcity, uma spin off, uma espécie de “empresa derivada”. É provavelmente o termo mais novo para definir empresas com o objetivo de explorar novos produtos e serviços. De acordo com o diretor internacional de expansão da empresa, Alberto Perdigão, a Tagcity traz soluções para o varejo com estratégias de marketing. “Esse workshop vai mostrar aos alunos da Faculdade CDL e empresários que existe uma ferramenta com o sistema funcionando, com estratégias revolucionárias dentro de casa e ao alcance deles”, pontua.

Para finalizar, o diretor executivo da Comercity, Paulo Ribeiro, mostrará como funciona uma start-up, que é uma rede de empresas e negócios, para que profissionais autônomos, indústrias, fornecedoras de matéria-prima, prestadores de serviços, mão de obra, entre outros, se conectem e façam negócios. A start-up pode servir também para quem é profissional autônomo e não tem onde divulgar o trabalho. Lá, ele pode fazer isso e ainda encontrar clientes, tudo no mesmo lugar.

Paulo Ribeiro acredita que o workshop é uma ótima oportunidade para inspirar e dar exemplos aos participantes. “O empreendedorismo é o futuro, não existe um país ou lugar sem empreendedorismo. Eu sempre tento passar minha experiência para quem assiste e acho que tenho a obrigação de fomentar o espírito empreendedor nos jovens”, afirma.

Após as apresentações dos cases, haverá um debate sobre importância da inovação no varejo. O workshop é gratuito e com vagas limitadas. As inscrições podem ser feitas no site da Faculdade CDLwww.faculdadecdl.edu.br.

Serviço

Workshop – Inovação e Varejo

Dia: 27/09 (Quarta-feira)

Horário: 18h40

Local: Faculdade CDL – Auditório Gervásio Pegado

Publicidade

Aplicativo FamilyDoc enxerga novo mercado para profissionais de saúde

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

12 de setembro de 2017

Os aplicativos, e suas infinitas possibilidades de mudar a sociedade e suas relações,  chegaram, em Fortaleza, à área de saúde. FamilyDoc é um app que vai disponibilizar profissionais aos pacientes. Médicos, psicólogos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, educadores físicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e dentistas  já estão se cadastrando por meio do site ou pelo próprio sistema mobile, que pode ser baixado pela GooglePlay ou App Store. A interface é acessível e o ambiente é fácil de ser utilizado.
Previsto para dar início aos atendimentos, em Fortaleza, no final de setembro, o FamilyDoc possibilita ao profissional, por meio do Painel de Controle do App, informar o tipo de atendimento oferecido, dias e horários disponíveis, valor da consulta, localização e deslocamento em tempo real do interessado, acompanhamento e agendamento de novas consultas, possíveis atrasos, melhor rota, movimentação financeira, entre outras opções.
Idealizado por Alexandre Cavalcanti, Médico, Professor da Unifor e Mestre em Saúde Pública, o FamilyDoc promete uma revolução na relação profissional/paciente. Ele explica que o App surgiu a partir da percepção que a necessidade das pessoas era por um atendimento com maior proximidade com o profissional. “Outro diferencial é a possibilidade atendimento na casa do paciente, um benefício inconteste, principalmente para aquelas famílias que têm crianças, idosos ou pessoas com necessidades especiais.”. Cavalcanti destaca que, pelo aplicativo, é possível encontrar um profissional que esteja mais próximo ou disponível no horário que o paciente precisa de atendimento. “E não apenas quando tiver vaga pelo plano.”, ressalta.
Saiba Mais
O FamilyDoc representa um novo modelo de atendimento com ganhos tanto para os profissionais quando para os pacientes, em quatro modelos:
1. Atendimento domiciliar para o mesmo dia, em até 3 horas. São aquelas situações em que o deslocamento do paciente até o consultório torna-se mais difícil. Com o FamilyDoc, é possível realizar um atendimento domiciliar para o mesmo dia. O paciente consulta a lista de especialidade e opta pelo que for mais conveniente de acordo com currículo, proximidade ou faixa de valor da consulta.
2. Atendimento no consultório para o mesmo dia. Da mesma forma que a modalidade anterior, com o FamilyDoc o médico pode escolher estar disponível para o atendimento no consultório, ocupando os espaços da agenda da maneira que melhor convier.
3. Agendamento domiciliar. O profissional de saúde pode se programar para realizar atendimento, com data marcada, na residência do paciente, valorizando os momentos de maior disponibilidade em sua agenda.
4. Agendamento em consultório. O profissional pode se colocar à disposição no aplicativo nos momentos que o consultório estiver com menor movimento, preenchendo horas vagas.
Serviço
Publicidade

Aplicativo FamilyDoc enxerga novo mercado para profissionais de saúde

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

12 de setembro de 2017

Os aplicativos, e suas infinitas possibilidades de mudar a sociedade e suas relações,  chegaram, em Fortaleza, à área de saúde. FamilyDoc é um app que vai disponibilizar profissionais aos pacientes. Médicos, psicólogos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, educadores físicos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e dentistas  já estão se cadastrando por meio do site ou pelo próprio sistema mobile, que pode ser baixado pela GooglePlay ou App Store. A interface é acessível e o ambiente é fácil de ser utilizado.
Previsto para dar início aos atendimentos, em Fortaleza, no final de setembro, o FamilyDoc possibilita ao profissional, por meio do Painel de Controle do App, informar o tipo de atendimento oferecido, dias e horários disponíveis, valor da consulta, localização e deslocamento em tempo real do interessado, acompanhamento e agendamento de novas consultas, possíveis atrasos, melhor rota, movimentação financeira, entre outras opções.
Idealizado por Alexandre Cavalcanti, Médico, Professor da Unifor e Mestre em Saúde Pública, o FamilyDoc promete uma revolução na relação profissional/paciente. Ele explica que o App surgiu a partir da percepção que a necessidade das pessoas era por um atendimento com maior proximidade com o profissional. “Outro diferencial é a possibilidade atendimento na casa do paciente, um benefício inconteste, principalmente para aquelas famílias que têm crianças, idosos ou pessoas com necessidades especiais.”. Cavalcanti destaca que, pelo aplicativo, é possível encontrar um profissional que esteja mais próximo ou disponível no horário que o paciente precisa de atendimento. “E não apenas quando tiver vaga pelo plano.”, ressalta.
Saiba Mais
O FamilyDoc representa um novo modelo de atendimento com ganhos tanto para os profissionais quando para os pacientes, em quatro modelos:
1. Atendimento domiciliar para o mesmo dia, em até 3 horas. São aquelas situações em que o deslocamento do paciente até o consultório torna-se mais difícil. Com o FamilyDoc, é possível realizar um atendimento domiciliar para o mesmo dia. O paciente consulta a lista de especialidade e opta pelo que for mais conveniente de acordo com currículo, proximidade ou faixa de valor da consulta.
2. Atendimento no consultório para o mesmo dia. Da mesma forma que a modalidade anterior, com o FamilyDoc o médico pode escolher estar disponível para o atendimento no consultório, ocupando os espaços da agenda da maneira que melhor convier.
3. Agendamento domiciliar. O profissional de saúde pode se programar para realizar atendimento, com data marcada, na residência do paciente, valorizando os momentos de maior disponibilidade em sua agenda.
4. Agendamento em consultório. O profissional pode se colocar à disposição no aplicativo nos momentos que o consultório estiver com menor movimento, preenchendo horas vagas.
Serviço