Publicidade

Agregando valor

por Rodrigo Goyanna

crescimento

Metade dos brasileiros já vê mais vídeos online que TV

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

20 de novembro de 2017

Mais da metade dos brasileiros já passa mais tempo assistindo a vídeos online que assistindo à TV. 56% dos brasileiros com acesso à internet e TV preferem a web em 2017.

A descoberta é de uma nova pesquisa do Instituto Provokers, feita em parceria com o Google Brasil e Youtube.O estudo foi feito com 1500 brasileiros, entre 14 e 55 anos, das classes A, B e C. A amostragem de entrevistados representa 123 milhões de pessoas.

Em três anos, o consumo de vídeos online saltou 90,1%, enquanto o consumo de TV se manteve praticamente estável. 

Já o smartphone se consolidou como principal meio para consumir esses vídeos online: é usado por 83% das pessoas e é preferência de 57% delas.

Além disso, pouca gente se desconecta quando está na frente da TV: 87% continua online enquanto assiste a algo na TV.

Confira os principais resultados da pesquisa:

Quem assiste

86% assistem a vídeos na internet – desses, 99% usam o YouTube

14% não assistem a vídeos na internet

Crescimento: em 2014, apenas 67% assistiam a vídeos online

Em 2014

– Média de 21,9 horas por semana assistindo à televisão

– Média de 8,1 horas por semana assistindo a vídeos na internet

Em 2017

– Média de 22,6 horas por semana assistindo à televisão

– Média de 15,4 horas por semana assistindo a vídeos na internet

Ou seja: o consumo de vídeos online cresceu em ritmo maior que o crescimento de consumo na TV

90,1%: foi o que cresceu o consumo de vídeos na web entre 2014 e 2017.

Mais internet

56% dos brasileiros com acesso a TV e internet já veem mais vídeos online: estes costumam passar, em média, 11,9 horas por semana vendo TV e 13,4 horas por semana vendo vídeos online.

Motivos

E por que ver vídeos online?

– 83% porque busca conteúdo que não está na TV

– 43% porque quer ver um conteúdo que passou na TV, mas não conseguiu ver

– 19% para saber mais sobre um conteúdo que viu, primeiro, na TV

Os preferidos

As plataformas prediletas para assistir a conteúdo online:

– 42% prefere YouTube

– 20% prefere WhatsApp

– 15% prefere Netflix

– 8% prefere Facebook

– 7% prefere TV paga

Publicidade

A lição Ana Alice

Por rodrigogoyanna em Relacionamento interpessoal, Vida

07 de setembro de 2017

.Faz 24h que só penso na Ana Alice.

Domingo. 03/09. 16h. Hospital de Messejana. Fim de ação no projeto social.

Entre a sensação de dever cumprido e a vontade de resenhar sobre cada experiência vivida naquele dia, surge do outro lado da passarela, um par de olhos claros, e um sorriso como quem gritasse pra gente ir ali.

Enfermeira: “ vocês querem ir até la?”….Calmaaaaa, me espera!

A cicatriz no meio do peito contava uma história que a gente preferia não ter ouvido, mas o sorriso que não saía do rosto fez com que a gente doasse para aquele coraçãozinho doente, um pouco de sentimento de cada um dos nossos corações.

Ontem recebi a noticia que a Ana Alice virou um anjinho de Deus, e junto com a alegria de haver a conhecido, veio o aprendizado do quanto a gente é medíocre por reclamar mais do que viver.

Com um sorriso no rosto e um rasgão no peito, ela provocou a duvida sobre o que temos feito de nossas vidas: trabalhar até atingir a meta de comprar um carro que outros invejem? Chamar dependência de amor e postar nas mídias sociais? Ser um outdoor ambulante e conquistar seguidor como um prostituto de valores?

Com um coração com bateria para mais algumas horas de vida, a pequena Ana Alice não recusou um abraço. Não soltou um choro. Não reclamou de nada. E não teve tempo pra fazer a vida valer a pena, como a gente tem, e desperdiça.

Meu time não ganhou. Tive poucas curtidas. Minha calça não entra mais. Meu namorado não me quer. Meu chefe não me valoriza. Tudo justificativa que a gente busca, pra de forma ingrata, se declarar que não é feliz.

A gente tem uma vida perfeita, e ainda que problemas existam, é perfeitamente possível com um sorriso no rosto, e sem reclamar de nada, mudar a própria história. A Ana Alice não teve essa chance, e a gente tá jogando fora.

leia tudo sobre

Publicidade

O memorável discurso de Steve Jobs em Stanford 2005.

Por rodrigogoyanna em estrategia, Foco, Marketing

03 de Março de 2017

 

“Não percebi, na época, mas ser demitido da Apple foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. O peso do sucesso foi substituído pela leveza do recomeço. Isso me libertou para um dos mais criativos períodos de minha vida.”

“Estou certo de que nada disso teria acontecido sem a demissão. O sabor do remédio era amargo, mas creio que o paciente precisava dele. Quando a vida jogar pedras, não se deixem abalar. Estou certo de que meu amor pelo que fazia é que me manteve ativo. É preciso encontrar aquilo que vocês amam – e isso se aplica ao trabalho tanto quanto à vida afetiva. Seu trabalho terá parte importante em sua vida, e a única maneira de sentir satisfação completa é amar o que vocês fazem. Caso ainda não tenham encontrado, continuem procurando. Não se acomodem. Como é comum nos assuntos do coração, quando encontrarem, vocês saberão. Tudo vai melhorar, com o tempo. Continuem procurando. Não se acomodem.”

“Quando eu tinha 17 anos, li uma citação que dizia algo como “se você viver cada dia como se fosse o último, um dia terá razão”. Isso me impressionou, e nos 33 anos transcorridos sempre me olho no espelho pela manhã e pergunto, se hoje fosse o último dia de minha vida, eu desejaria mesmo estar fazendo o que faço? E se a resposta for “não” por muitos dias consecutivos, é preciso mudar alguma coisa.”

“Lembrar de que em breve estarei morto é a melhor ferramenta que encontrei para me ajudar a fazer as grandes escolhas da vida. Porque quase tudo – expectativas externas, orgulho, medo do fracasso – desaparece diante da morte, que só deixa aquilo que é importante. Lembrar de que você vai morrer é a melhor maneira que conheço de evitar armadilha de temer por aquilo que temos a perder. Não há motivo para não fazer o que dita o coração.”

“O tempo de que vocês dispõem é limitado, e por isso não deveriam desperdiçá-lo vivendo a vida de outra pessoa. Não se deixem aprisionar por dogmas – isso significa viver sob os ditames do pensamento alheio. Não permitam que o ruído das outras vozes supere o sussurro de sua voz interior. E, acima de tudo, tenham a coragem de seguir seu coração e suas intuições, porque eles de alguma maneira já sabem o que vocês realmente desejam se tornar. Tudo mais é secundário.”

Publicidade

Obrigado, 2016!

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

26 de dezembro de 2016

Prezado, 2016

Esqueça a ingratidão dos bobos,

Sou eu quem trago a mensagem

De amor por tua passagem

E uma saudade que já não cabe em mim.

 

Foste engenheiro de sonhos

E construiu na minha esperança um solo

Sob bases seguras de confiança

encontrei no teu amanhã um colo

Pra dizer que ainda não era o fim

 

A despeito de tanta gente ingrata

Não sei como te agradecer

Por me dar a chance de continuar

De tantas lições que aprendi

A melhor que escolhi

É que destino não é sorte

E por ter me feito mais forte

Sei que ainda há muito a conquistar

 

Todas as lágrimas derramadas

fazem parte da escada do viver

numa subida que se acelera

por cada alegria conquistada

e pelas asas do sonhar.

Publicidade

Obrigado, 2016!

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

26 de dezembro de 2016

Prezado, 2016

Esqueça a ingratidão dos bobos,

Sou eu quem trago a mensagem

De amor por tua passagem

E uma saudade que já não cabe em mim.

 

Foste engenheiro de sonhos

E construiu na minha esperança um solo

Sob bases seguras de confiança

encontrei no teu amanhã um colo

Pra dizer que ainda não era o fim

 

A despeito de tanta gente ingrata

Não sei como te agradecer

Por me dar a chance de continuar

De tantas lições que aprendi

A melhor que escolhi

É que destino não é sorte

E por ter me feito mais forte

Sei que ainda há muito a conquistar

 

Todas as lágrimas derramadas

fazem parte da escada do viver

numa subida que se acelera

por cada alegria conquistada

e pelas asas do sonhar.