Publicidade

Agregando valor

por Rodrigo Goyanna

Relacionamento interpessoal

A lição Ana Alice

Por rodrigogoyanna em Relacionamento interpessoal, Vida

07 de setembro de 2017

.Faz 24h que só penso na Ana Alice.

Domingo. 03/09. 16h. Hospital de Messejana. Fim de ação no projeto social.

Entre a sensação de dever cumprido e a vontade de resenhar sobre cada experiência vivida naquele dia, surge do outro lado da passarela, um par de olhos claros, e um sorriso como quem gritasse pra gente ir ali.

Enfermeira: “ vocês querem ir até la?”….Calmaaaaa, me espera!

A cicatriz no meio do peito contava uma história que a gente preferia não ter ouvido, mas o sorriso que não saía do rosto fez com que a gente doasse para aquele coraçãozinho doente, um pouco de sentimento de cada um dos nossos corações.

Ontem recebi a noticia que a Ana Alice virou um anjinho de Deus, e junto com a alegria de haver a conhecido, veio o aprendizado do quanto a gente é medíocre por reclamar mais do que viver.

Com um sorriso no rosto e um rasgão no peito, ela provocou a duvida sobre o que temos feito de nossas vidas: trabalhar até atingir a meta de comprar um carro que outros invejem? Chamar dependência de amor e postar nas mídias sociais? Ser um outdoor ambulante e conquistar seguidor como um prostituto de valores?

Com um coração com bateria para mais algumas horas de vida, a pequena Ana Alice não recusou um abraço. Não soltou um choro. Não reclamou de nada. E não teve tempo pra fazer a vida valer a pena, como a gente tem, e desperdiça.

Meu time não ganhou. Tive poucas curtidas. Minha calça não entra mais. Meu namorado não me quer. Meu chefe não me valoriza. Tudo justificativa que a gente busca, pra de forma ingrata, se declarar que não é feliz.

A gente tem uma vida perfeita, e ainda que problemas existam, é perfeitamente possível com um sorriso no rosto, e sem reclamar de nada, mudar a própria história. A Ana Alice não teve essa chance, e a gente tá jogando fora.

leia tudo sobre

Publicidade

Menina de 5 anos reclama de roupas da Gap e CEO acata críticas

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing, Relacionamento interpessoal

01 de Maio de 2017

Roupas rosas e com imagens de princesas são de meninas. Roupas azuis e com carros ou foguetes são de meninos. Certo? De maneira alguma.

Alice Jacob, uma menina americana de cinco anos de idade, decidiu reclamar diretamente com a Gap sobre essa divisão ilógica entre “roupas de garotas e roupas de garotos”.

Em seis de março, Beth Jacob, a mãe de Alice, publicou uma carta no jornal The Washington Post onde descrevia a infelicidade da menina e da dificuldade em encontrar roupas em lojas.

A mãe também falou sobre como não tem mais sentido, em 2017, promover tal divisão absurda. Ela conta que marcas menores, “indies”, até possuem roupas menos “divididas”, mas elas são caras e poucas. Ela gostaria de ver esse avanço nas lojas de grandes marcas, como a Gap.

A menina, frustrada, decidiu enviar uma carta à Gap, pedindo “camisetas legais” para as meninas. Ela é fã de carros de corrida, dinossauros, esportes, Star Wars, super-heróis e ciência. Mas nunca encontrava uma roupa voltada para ela. Na carta, ela pede uma variedade maior de opções.

A carta , de três de março, é clara:

“Vocês podem fazer uma seção ‘cool’ de camisetas para as garotas? Ou vocês podem fazer uma seção que que nao seja de meninos ou meninas, mas apenas uma seção ‘para crianças’?”, ela diz na carta. 

Ela também fala sobre a seção dos meninos:

“Eles têm Superman, Batman, rock’n’roll e esportes. E quanto às garotas que também gostam dessas coisas, como eu e minha amiga Olivia?”, diz.

Resposta da Gap

Quando a carta de Alice ficou famosa, algumas empresas decidiram responder.

A DC Comics, por exemplo, mandou uma carta agradecendo a garota pela iniciativa. Junto da carta, uma caixa cheia de presentes da marca para ela e seu irmão mais velho.

Já a Gap mandou uma carta de resposta do CEO da empresa, Jeff Kirwan.

Na mensagem, ele diz que ela parece “uma garota muito legal e com grande senso de estilo”.

Ele defende que a marca oferece uma grande variedade de roupas e que, para as meninas, há algumas estampas de dinossauros, futebol e heróis.

Mas admite a falha e que há como melhorar:

“Mas você está certa, eu acho que podemos fazer um trabalho melhor e oferecer mais coisas. Eu conversei com nossos designers e eles vão trabalhar em coisas ainda mais divertidas que eu sei você gostará muito”, escreve.

A marca também enviou à garota camisetas de sua última coleção.

Segundo a mãe, a resposta da menina ao ler a carta foi curta: “Uau!”.

Ela agradeceu a mensagem ao CEO e ainda fez mais um pedido: “Vocês poderiam fazer umas camisetas da Fera [de A Bela e a Fera]? Eu gosto dele porque ele é peludinho e parece o Chewbacca [personagem de Star Wars]”.

Publicidade

OFF Outlet Fashion Fortaleza lança nova campanha institucional: destaque para moda e grandes descontos

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

15 de Fevereiro de 2017

Neste mês de Fevereiro, o OFF Outlet Fashion Fortaleza lança sua nova campanha institucional. A comunicação tem como objetivo levar ao público mais informações acerca do segmento de outlets, buscando reafirmar e consolidar o conceito de grandes descontos aliados às grandes marcas. Com o slogan “Pagar menos, essa moda pega”, a campanha destaca os diferenciais do empreendimento: marcas desejadas com descontos de até 80% o ano inteiro.

Segundo Mônica Botelho, gerente de Marketing do OFF Outlet, o objetivo é ainda “mostrar aos clientes que eles podem ter o que há de melhor em vestuário, calçados, acessórios, óticas, artigos para o lar e decoração, gastando muito menos do que no varejo convencional. São grandes marcas nacionais e internacionais a preços bem mais acessíveis”, explica a Gerente de marketing do OFF Outlet Fashion Fortaleza, Mônica Botelho.

Neste contexto, a campanha idealizada pela agência Thanks Comunicação, mostra as vantagens do centro de compras: a moda, representada por grandes marcas e direcionada a vários estilos e perfis de consumidores, e os descontos, que podem chegar a 80%. Destaca ainda infraestrutura e a ambientação aconchegante do empreendimento, ideais para receber famílias inteiras para um dia de compras e lazer.

Com um amplo plano de mídia, a campanha conta com divulgação em TV, jingle e spot de rádio, mobiliário urbano (abrigo de ônibus e relógio de rua) e diversas ações na internet e nas mídias sociais, nos quais serão apresentados todos os looks criados para a campanha, todos com opções de peças de lojas presentes no empreendimento.

Sobre o OFF Outlet Fashion Fortaleza
Primeiro Outlet do Estado do Ceará e o maior da região Norte/Nordeste, o OFF Outlet Fashion Fortaleza é um amplo e agradável centro de compras localizado a uma distância de apenas 15 quilômetros da capital cearense. O outlet conta com marcas nacionais e internacionais, oferecendo ao consumidor descontos de até 80% o ano inteiro. São mais de 90 marcas de moda, incluindo grifes renomadas nacionais e internacionais, acessórios, cama, mesa e banho, óticas, artigos esportivos e alimentação. A estrutura conta ainda com praça de alimentação climatizada, fraldário, ambulatório e estacionamento gratuito para 1.300 veículos.

 

Publicidade

Novo espaço lúdico e pioneiro para integração de crianças e pais chega a Fortaleza em fevereiro

Por rodrigogoyanna em estrategia, Marketing, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

02 de Fevereiro de 2017

Numa iniciativa pioneira na cidade, a psicóloga Naiana Pontes e a terapeuta ocupacional Natalia Burlamaqui, trazem para Fortaleza a Prupê, primeiro espaço dedicado a resgatar a essência natural e espontânea dos encontros e das brincadeiras infantis e a integração entre pais e filhos. A partir de fevereiro, a Prupê passa a funcionar no Bairro Aldeota e promete ser um refúgio para famílias que querem experimentar as trocas de conhecimento e de afeto com atividades diferentes das geralmente executadas no lar, na escola ou em outros ambientes que frequentam comumente. Por meio de uma programação lúdica e mediada por profissionais ligados às áreas da arte, da música, da dança, do teatro, da psicologia, das ciências sociais e da educação, as crianças podem desenvolver, criar e brincar livremente e os pais poderão participar disso tudo e ainda aprimorar o papel da paternidade e da maternidade.

Publicidade

O comercial que está encantando o mundo dos atletas.

Por rodrigogoyanna em Marketing, Relacionamento interpessoal

10 de Janeiro de 2017

Um video que está no ar desde o Natal do ano passado, tem sensibilizado o mundo dos amantes dos esportes. Produzido pelo estudante alemão Eugen Merher, de 26 anos, aluno da Filmakademie Baden-Württemberg, o vídeo foi criado em caráter experimental, mas computava quase 10 milhões de visualizações no YouTube até a publicação deste post. O filme, no entanto, foi ignorado pela Adidas. “Tentamos mandá-lo para o departamento de comunicação da Adidas, mas eles realmente não reagiram”, disse Eugen ao The Huffington Post.
O comercial leva o nome de “Break Free”, que em inglês significa Libertar. O video gira em torno de um antigo corredor de maratona alemão, que se sente deprimido em uma casa de repouso, até que um dia encontra seus antigos tênis Adidas e decide reviver seus anos de juventude, levando-os para correr. No entanto, é sempre proibido pelos enfermeiros.
O final vai fazer você torcer. Ou chorar. Ou as duas coisas.
O atleta recebe a ajuda de todos os colegas de asilo e consegue a tão sonhada liberdade na terceira idade. A imagem que encerra o vídeo é maravilhosa e mostra aquilo que adoramos fazer: sermos livres para fazer o que gostamos, de braços abertos, como se estivéssemos agradecendo ao mundo.
Dê o play e confira.

Publicidade

Obrigado, 2016!

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

26 de dezembro de 2016

Prezado, 2016

Esqueça a ingratidão dos bobos,

Sou eu quem trago a mensagem

De amor por tua passagem

E uma saudade que já não cabe em mim.

 

Foste engenheiro de sonhos

E construiu na minha esperança um solo

Sob bases seguras de confiança

encontrei no teu amanhã um colo

Pra dizer que ainda não era o fim

 

A despeito de tanta gente ingrata

Não sei como te agradecer

Por me dar a chance de continuar

De tantas lições que aprendi

A melhor que escolhi

É que destino não é sorte

E por ter me feito mais forte

Sei que ainda há muito a conquistar

 

Todas as lágrimas derramadas

fazem parte da escada do viver

numa subida que se acelera

por cada alegria conquistada

e pelas asas do sonhar.

Publicidade

Storytelling: dando vida a marca.

Por rodrigogoyanna em Marketing, Relacionamento interpessoal

20 de dezembro de 2016

O hábito de contar histórias faz parte da vida dos homens desde que começaram a se comunicar. E se a sociedade tem um nível de aceitação maior para empresas com uma imagem mais humanizada, a tarefa de atrelar a sua comunicação a uma história surge como estratégia para se aproximar do público alvo, ao gerar engajamento diante de uma maior identificação à história contada. É um esforço de “personificar” um CNPJ, DAR VIDA A UMA MARCA e assim, aos olhos de quem escuta ou assiste a história, a imagem de empresa distante e fria, é substituída por uma marca mais humanizada.

O termo Storytelling, traduzido como “narrar histórias”, não representa algo novo, já que o hábito de relatar fatos reais ou fictícios sempre existiu. O termo e sua aplicação, no entanto, destacam a importância da narrativa como forma de levar conhecimento e diversão às pessoas. Além disso, evidencia o quanto a técnica pode ser estratégica para que as empresas criem vínculos emocionais com os consumidores.

Uma das empresas que melhor trabalha a estratégia de Storytelling é o Chipotle, fast food de comida mexicana que entrega a mensagem de vender comida saudável. Vejam alguns videos do Chipotle utilizando da estratégia de storytelling pra gerar engajamento.

Publicidade

Com sua licença, o amor como autor

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

13 de dezembro de 2016

Caro Leitor,

Quem vos escreve é o Amor, e pra quem não me conhece, eu já fui essencial na vida de muita gente.

Talvez já tenha escutado alguma história minha contada pela boca de seus pais, hoje sou uma parte ferida e menor do que um dia eu já fui, ao longo do tempo, diante de tantas perdas, eu mesmo me perdi.

Acho que já não acredito mais em vocês; como eu sei que muitos de vocês já não têm fé em mim. Dizer meu nome em vão nunca foi razão para viver o que eu faço sentir, ou mesmo sentir a mudança que eu provoco no viver.

Vocês subestimaram cada medida do meu ser.

Misturam minha essência com interesse, quando na verdade, só me interesso por gente que não se interessa por aquilo que a maioria considera mais interessante que eu. E acredite, na verdade nada o é.

Me sinto de lado, quando só queria estar do lado de dentro, aquele espaço que quando me deixam entrar, faço dele moradia.

Se outrora me rotulavam como cego, hoje são vocês os surdos; grito alto e não ouvem o que tento dizer através do coração. E ainda que eu não julgue ninguém por aparência, são vocês que precisam voltar a enxergar o que de fato os fazem especiais, ou simplesmente, aonde eu estou.

Não aprendi a nascer pequeno, mas nunca mensurei até onde posso ir. Meu melhor parâmetro é acreditar que vou ser sempre maior no amanhã.

Não me escondo, só não sou tão fácil de achar, porque ainda que gratuito, meu valor não diminui.

Eu sou o companheirismo na economia do casal para pagar a conta no fim do mês, mas vocês insistem em me procurar no prato caro do restaurante chique.

Eu sou as noites mal dormidas cuidando de quem dorme do lado direito do colchão, e não as noites mal geridas com tanto champagne para agradar quem acha que me tem.

Eu sou o pedaço de areia com vista pro pôr do sol da felicidade, enquanto me buscam no iate ancorado no porto do interesse.

Não sei aonde errei. Nunca pedi muito. Nunca custei caro. Pensei, levianamente ou pretensiosamente, que eu seria suficientemente bom para ser a única opção de quem escolhe viver um sonho a dois. Nunca imaginei que nesse caminho tortuoso que vocês chamam de vida, não fosse feito de mim cada tijolo que vocês deveriam pisar.

Receio que cada vez mais, nos vejamos menos. A não ser que eu faça falta, e ainda que seja tarde, é absolutamente possível, a gente fazer dessa ausência, um encontro sem fim.

Verdade que preciso de vocês, mas vocês ainda mais, têm precisado de mim.

Me liga, quem sabe ainda dá certo.

leia tudo sobre

Publicidade

Com sua licença, o amor como autor

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

13 de dezembro de 2016

Caro Leitor,

Quem vos escreve é o Amor, e pra quem não me conhece, eu já fui essencial na vida de muita gente.

Talvez já tenha escutado alguma história minha contada pela boca de seus pais, hoje sou uma parte ferida e menor do que um dia eu já fui, ao longo do tempo, diante de tantas perdas, eu mesmo me perdi.

Acho que já não acredito mais em vocês; como eu sei que muitos de vocês já não têm fé em mim. Dizer meu nome em vão nunca foi razão para viver o que eu faço sentir, ou mesmo sentir a mudança que eu provoco no viver.

Vocês subestimaram cada medida do meu ser.

Misturam minha essência com interesse, quando na verdade, só me interesso por gente que não se interessa por aquilo que a maioria considera mais interessante que eu. E acredite, na verdade nada o é.

Me sinto de lado, quando só queria estar do lado de dentro, aquele espaço que quando me deixam entrar, faço dele moradia.

Se outrora me rotulavam como cego, hoje são vocês os surdos; grito alto e não ouvem o que tento dizer através do coração. E ainda que eu não julgue ninguém por aparência, são vocês que precisam voltar a enxergar o que de fato os fazem especiais, ou simplesmente, aonde eu estou.

Não aprendi a nascer pequeno, mas nunca mensurei até onde posso ir. Meu melhor parâmetro é acreditar que vou ser sempre maior no amanhã.

Não me escondo, só não sou tão fácil de achar, porque ainda que gratuito, meu valor não diminui.

Eu sou o companheirismo na economia do casal para pagar a conta no fim do mês, mas vocês insistem em me procurar no prato caro do restaurante chique.

Eu sou as noites mal dormidas cuidando de quem dorme do lado direito do colchão, e não as noites mal geridas com tanto champagne para agradar quem acha que me tem.

Eu sou o pedaço de areia com vista pro pôr do sol da felicidade, enquanto me buscam no iate ancorado no porto do interesse.

Não sei aonde errei. Nunca pedi muito. Nunca custei caro. Pensei, levianamente ou pretensiosamente, que eu seria suficientemente bom para ser a única opção de quem escolhe viver um sonho a dois. Nunca imaginei que nesse caminho tortuoso que vocês chamam de vida, não fosse feito de mim cada tijolo que vocês deveriam pisar.

Receio que cada vez mais, nos vejamos menos. A não ser que eu faça falta, e ainda que seja tarde, é absolutamente possível, a gente fazer dessa ausência, um encontro sem fim.

Verdade que preciso de vocês, mas vocês ainda mais, têm precisado de mim.

Me liga, quem sabe ainda dá certo.