Publicidade

Agregando valor

por Rodrigo Goyanna

Pizzaria Vignoli expande e adere ao modelo fast food

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

06 de Fevereiro de 2017

Consolidada no Nordeste, a Pizzaria Vignoli inaugurou recentemente sua primeira loja no interior de um Shopping Center. O escolhido para inaugurar o modelo fast food do restaurante italiano conhecido pela excelência nos pratos foi o Del Paseo, localizado no coração do Bairro Aldeota, em Fortaleza. Sob o comando de Priscila Esteves e Mariana Cidrão, o espaço se encontra na Praça de Alimentação do Del Paseo, no terceiro piso.

O local parecer ser perfeito para o modelo de negocio proposto pela nova loja. Situado entre grandes centros comerciais, a loja do Del Paseo promete entregar além da qualidade e excelência no atendimento, agilidade e presteza para atender a um publico com um horário limitado para refeição, são valores de produto que geram   vantagem competitiva e posicionam a marca em um grau de diferenciação em relação a concorrência.

A personalização das massas é característica da nova loja. Conforme Júlio Bezerra, sócio da marca, a loja traz uma proposta diferente, na qual o cliente poderá criar sua própria massa e salada com os ingredientes da casa. Bezerra adianta que a venda da pizza no tamanho individual é outra novidade do Expresso.

Personalizar um produto é entender que seu consumidor está mudando. A geração on demand exige o produto quando, onde e como ela quiser. Quando o Vignolli cria opções diferentes de tamanho e personalização, a empresa mostra que quer atingir esse nicho de consumidor exigente que nao pàra de crescer.

“A praça de alimentação do shopping Del paseo é considerada por muitos a melhor da Cidade, mas faltava uma operação que vendesse Pizza. A entrada
da Vignoli, eleita 8 vezes a melhor pizza da cidade, complementa o mix do shopping”, ressaltou o sócio.

Sobre planos futuros para a Pizzaria Vignoli, Bezerra adianta a vontade de expandir o novo modelo de loja para outros shoppings da capital cearense e
do Brasil. No primeiro semestre de 2016, a Vignoli inaugurou sua primeira sede no exterior, em Lisboa

Publicidade

Burger King Brasil lança 1º lanche para idosos acima de 70 anos

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

04 de Fevereiro de 2017

Quantas vezes você teve que convencer seus avós a irem com você a um fast food ? O Burger King tornou essa missão um pouco menos difícil.

No último dia 25, foi lançado o primeiro lanche voltado para o público idoso, visando os consumidores acima de 70 anos, o King Senior será vendido em todos os restaurantes da rede, por tempo limitado.

Um hambúrguer voltado especificamente para idosos é algo inédito no BURGER KING e também em outras marcas de fast food.

A marca criou o King Senior depois de perceber que já existiam combos específicos para crianças, adaptado para elas (lanches menores, brinquedos), mas não existia um combo para a terceira idade.

No caso do King Senior, a caixa especial traz dois combos Whoppers pelo preço de um. A ideia é que o idoso vá acompanhado até um restaurante da marca e a dupla desfrute da promoção.

A campanha, assim, visa incentivar familiares e conhecidos a saírem mais com idosos, que muitas vezes passam a velhice dentro de casa, isolados e sem companhia para passeios.

A campanha foi criada em parceria com o Projeto Velho Amigo – Associação de Amparo ao Idoso, e segundo o Burger king, o lucro dos combos King Senior será doado para o Projeto Velho Amigo.

Publicidade

Novo espaço lúdico e pioneiro para integração de crianças e pais chega a Fortaleza em fevereiro

Por rodrigogoyanna em estrategia, Marketing, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

02 de Fevereiro de 2017

Numa iniciativa pioneira na cidade, a psicóloga Naiana Pontes e a terapeuta ocupacional Natalia Burlamaqui, trazem para Fortaleza a Prupê, primeiro espaço dedicado a resgatar a essência natural e espontânea dos encontros e das brincadeiras infantis e a integração entre pais e filhos. A partir de fevereiro, a Prupê passa a funcionar no Bairro Aldeota e promete ser um refúgio para famílias que querem experimentar as trocas de conhecimento e de afeto com atividades diferentes das geralmente executadas no lar, na escola ou em outros ambientes que frequentam comumente. Por meio de uma programação lúdica e mediada por profissionais ligados às áreas da arte, da música, da dança, do teatro, da psicologia, das ciências sociais e da educação, as crianças podem desenvolver, criar e brincar livremente e os pais poderão participar disso tudo e ainda aprimorar o papel da paternidade e da maternidade.

Publicidade

Coca-cola de cara nova

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

19 de Janeiro de 2017

No começo de 2016, a Coca cola anunciou a mudança de slogan após 7 anos. O novo mote é “Taste the feeling”, que no Brasil foi traduzido para “Sinta o sabor”.

Agora, a novidade são as embalagens. No novo design, o famoso disco vermelho é o centro da identidade visual, acompanhado da cor de cada versão (vermelho para a de sabor original, prata para a light, preto para Zero Açúcar e verde para Stevia e 50% menos açúcares).

A mudança é um segundo passo da campanha “Sinta o Sabor, quando a “família Coca-Cola” passou a ser tratada como uma marca única. Pela primeira vez na história da empresa, toda a família de produtos Coca-Cola sob o mesmo posicionamento de marca.

Único também, é o sabor que a Coca Cola quer que você tenha em mente, ao buscar a padronização do símbolo vermelho em todas as latas, mitigando as diferenças visuais, ela espera que o contraste no sabor de cada modelo, fique mais imperceptível.

Outra novidade é que a Coca-Cola Zero apresenta uma nova fórmula, com sabor mais próximo da versão regular e passa a se chamar Coca-Cola Zero Açúcar.

“O estilo de vida das pessoas mudou e vamos oferecer mais escolhas ao público para nos adequar a estas mudanças. Estamos usando a força da nossa principal marca para falar claramente sobre opções. É a mesma Coca-Cola com diferentes versões para quem quer reduzir o consumo de açúcar”, afirma Henrique Braun, presidente da Coca-Cola Brasil. “E vamos além. Usaremos a fortaleza do nosso sistema para chegar ao final de 2017 com uma distribuição 50% maior nos pontos de venda de todo o Brasil”, completa.

Publicidade

O comercial que está encantando o mundo dos atletas.

Por rodrigogoyanna em Marketing, Relacionamento interpessoal

10 de Janeiro de 2017

Um video que está no ar desde o Natal do ano passado, tem sensibilizado o mundo dos amantes dos esportes. Produzido pelo estudante alemão Eugen Merher, de 26 anos, aluno da Filmakademie Baden-Württemberg, o vídeo foi criado em caráter experimental, mas computava quase 10 milhões de visualizações no YouTube até a publicação deste post. O filme, no entanto, foi ignorado pela Adidas. “Tentamos mandá-lo para o departamento de comunicação da Adidas, mas eles realmente não reagiram”, disse Eugen ao The Huffington Post.
O comercial leva o nome de “Break Free”, que em inglês significa Libertar. O video gira em torno de um antigo corredor de maratona alemão, que se sente deprimido em uma casa de repouso, até que um dia encontra seus antigos tênis Adidas e decide reviver seus anos de juventude, levando-os para correr. No entanto, é sempre proibido pelos enfermeiros.
O final vai fazer você torcer. Ou chorar. Ou as duas coisas.
O atleta recebe a ajuda de todos os colegas de asilo e consegue a tão sonhada liberdade na terceira idade. A imagem que encerra o vídeo é maravilhosa e mostra aquilo que adoramos fazer: sermos livres para fazer o que gostamos, de braços abertos, como se estivéssemos agradecendo ao mundo.
Dê o play e confira.

Publicidade

A lição de Thomas Edson para 2017

Por rodrigogoyanna em Foco, Marketing, Marketing Pessoal

31 de dezembro de 2016

“O garoto é confuso da cabeça, não consegue aprender”, reclamava o reverendo Engle sobre o menino de 8 anos, agitado e perguntador,  que se recusava a decorar as lições.

Naquele ano de 1855, três meses depois de ter começado os estudos, a carreira escolar do estudante Thomas Alva Edison tinha terminado. Nunca mais ele voltaria a frequentar uma sala de aula.

A despeito do julgamento do reverendo Engle, o pequeno Thomas não aquietou sua curiosidade ao longo da vida. O resultado? Raras pessoas ajudaram tanto a esculpir o mundo atual como Thomas Alva Edison, detentor de mais de 2000 patentes.

Nancy, a mãe de Edson,  passou a educá-lo em casa, cercando-o de livros de História e Ciência, peças de Shakespeare e romances de Charles Dickens. O filho não a decepcionaria.

Os tempos, porém, eram difíceis. Thomas arranjou emprego no trem diário que ligava Port Huron a Detroit. Eram três horas e meia para ir, outras tantas para voltar e seis horas entre uma viagem e outra, — tempo mais que suficiente para vender a bordo frutas, balas, bombons, biscoitos e chocolates (na ida), tudo isso mais a edição vespertina do Free Press, o principal jornal de Detroit (na volta), e ainda para longas sessões de leitura, seja no bagageiro do trem, seja na biblioteca pública da cidade.

Anos mais tarde, o jovem lançaria sua primeira patente:— uma máquina de votar para o Congresso dos Estados Unidos. Tratava-se, portanto, de um ancestral do sistema eletrônico de votação hoje usado em muitos parlamentos, inclusive no Brasil. Edison conhecia eletricidade, mas não conhecia os políticos. Para sua imensa surpresa, eles não manifestaram o menor interesse pela engenhoca.

“Talento é 1% inspiração e 99% transpiração”, teria dito Edson à época.  Durante mais de um ano, ele e seus assistentes faziam e testavam filamentos de todos os materiais possíveis e imagináveis para desenvolver uma lampada elétrica que pudesse ser comercializada.

Um dia, um dos seus auxiliares, desanimado com tantos fracassos, sugeriu a Edison que desistisse de futuras tentativas, porque, depois de 700 tentativas, não havia avançado um só passo. Ao que ele respondeu:

“O quê? Não avançamos um só passo? Avançamos 700 passos rumo ao êxito final! Sabemos de 700 coisas que não deram certo! Estamos para além de 700 ilusões que mantínhamos anos atrás e que hoje não nos iludem mais. E a isso você chama perda de tempo?”.

Ele estava habituado a pensar positivamente. Por isso, de experiência em experiência, chegaram ao fio de algodão carbonizado, e finalmente, em 1879, aos 32 anos, Edison concluiu a invenção da lâmpada elétrica, depois de realizar 1.200 tentativas.

 

Para Thomas Edson, “muitos dos fracassos desta vida estão concentrados nas pessoas que desistiram por não saberem que estavam muito perto da linha de chegada.”

Aquele menino que foi expulso da escola depois de 3 meses, poderia ter desistido ali, mas por acreditar em si, ele mudou a vida de todos nós.

Thomas Edison faleceu em West Orange, no estado de New Jersey, Estados Unidos, em 18 de outubro de 1931. No dia de seu enterro, todas as luzes dos Estados Unidos foram apagadas durante 1 minuto.

 

 

Publicidade

Obrigado, 2016!

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

26 de dezembro de 2016

Prezado, 2016

Esqueça a ingratidão dos bobos,

Sou eu quem trago a mensagem

De amor por tua passagem

E uma saudade que já não cabe em mim.

 

Foste engenheiro de sonhos

E construiu na minha esperança um solo

Sob bases seguras de confiança

encontrei no teu amanhã um colo

Pra dizer que ainda não era o fim

 

A despeito de tanta gente ingrata

Não sei como te agradecer

Por me dar a chance de continuar

De tantas lições que aprendi

A melhor que escolhi

É que destino não é sorte

E por ter me feito mais forte

Sei que ainda há muito a conquistar

 

Todas as lágrimas derramadas

fazem parte da escada do viver

numa subida que se acelera

por cada alegria conquistada

e pelas asas do sonhar.

Publicidade

Storytelling: dando vida a marca.

Por rodrigogoyanna em Marketing, Relacionamento interpessoal

20 de dezembro de 2016

O hábito de contar histórias faz parte da vida dos homens desde que começaram a se comunicar. E se a sociedade tem um nível de aceitação maior para empresas com uma imagem mais humanizada, a tarefa de atrelar a sua comunicação a uma história surge como estratégia para se aproximar do público alvo, ao gerar engajamento diante de uma maior identificação à história contada. É um esforço de “personificar” um CNPJ, DAR VIDA A UMA MARCA e assim, aos olhos de quem escuta ou assiste a história, a imagem de empresa distante e fria, é substituída por uma marca mais humanizada.

O termo Storytelling, traduzido como “narrar histórias”, não representa algo novo, já que o hábito de relatar fatos reais ou fictícios sempre existiu. O termo e sua aplicação, no entanto, destacam a importância da narrativa como forma de levar conhecimento e diversão às pessoas. Além disso, evidencia o quanto a técnica pode ser estratégica para que as empresas criem vínculos emocionais com os consumidores.

Uma das empresas que melhor trabalha a estratégia de Storytelling é o Chipotle, fast food de comida mexicana que entrega a mensagem de vender comida saudável. Vejam alguns videos do Chipotle utilizando da estratégia de storytelling pra gerar engajamento.

Publicidade

Brasileiros estão entre os consumidores mais engajados do mundo

Por rodrigogoyanna em Marketing

17 de dezembro de 2016

consumidor brasileiro é o segundo mais engajado do mundo, mantendo-se fiel, conectado e próximo à marca de desejo.

A descoberta é de uma pesquisa da empresa Affinion com a Oxford Brookes University, que mapeou os fatores que influenciam a relação duradoura de um consumidor com uma marca.

Entraram na conta marcas dos setores de varejo, bancos e telecomunicações. Ao todo, 18 mil pessoas foram entrevistadas.

Além do Brasil, Turquia e Estados Unidos também têm um alto índice de engajamento, acima da média global.

Brasil atingiu uma pontuação de 70 no estudo, enquanto a média mundial é 66.

Já países como Dinamarca, Noruega e Finlândia são menos engajados, com médias entre 58 e 60.

O setor varejista encontra consumidores mais voláteis, que exigem constantes inovações e superações por parte da marca para se manterem fiéis.

Já os setores de telecomunicações e bancos, exigindo mais da vida do consumidor e participando dela, praticamente, todos os dias, tendem a ver clientes mais estáveis.

Publicidade

Com sua licença, o amor como autor

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

13 de dezembro de 2016

Caro Leitor,

Quem vos escreve é o Amor, e pra quem não me conhece, eu já fui essencial na vida de muita gente.

Talvez já tenha escutado alguma história minha contada pela boca de seus pais, hoje sou uma parte ferida e menor do que um dia eu já fui, ao longo do tempo, diante de tantas perdas, eu mesmo me perdi.

Acho que já não acredito mais em vocês; como eu sei que muitos de vocês já não têm fé em mim. Dizer meu nome em vão nunca foi razão para viver o que eu faço sentir, ou mesmo sentir a mudança que eu provoco no viver.

Vocês subestimaram cada medida do meu ser.

Misturam minha essência com interesse, quando na verdade, só me interesso por gente que não se interessa por aquilo que a maioria considera mais interessante que eu. E acredite, na verdade nada o é.

Me sinto de lado, quando só queria estar do lado de dentro, aquele espaço que quando me deixam entrar, faço dele moradia.

Se outrora me rotulavam como cego, hoje são vocês os surdos; grito alto e não ouvem o que tento dizer através do coração. E ainda que eu não julgue ninguém por aparência, são vocês que precisam voltar a enxergar o que de fato os fazem especiais, ou simplesmente, aonde eu estou.

Não aprendi a nascer pequeno, mas nunca mensurei até onde posso ir. Meu melhor parâmetro é acreditar que vou ser sempre maior no amanhã.

Não me escondo, só não sou tão fácil de achar, porque ainda que gratuito, meu valor não diminui.

Eu sou o companheirismo na economia do casal para pagar a conta no fim do mês, mas vocês insistem em me procurar no prato caro do restaurante chique.

Eu sou as noites mal dormidas cuidando de quem dorme do lado direito do colchão, e não as noites mal geridas com tanto champagne para agradar quem acha que me tem.

Eu sou o pedaço de areia com vista pro pôr do sol da felicidade, enquanto me buscam no iate ancorado no porto do interesse.

Não sei aonde errei. Nunca pedi muito. Nunca custei caro. Pensei, levianamente ou pretensiosamente, que eu seria suficientemente bom para ser a única opção de quem escolhe viver um sonho a dois. Nunca imaginei que nesse caminho tortuoso que vocês chamam de vida, não fosse feito de mim cada tijolo que vocês deveriam pisar.

Receio que cada vez mais, nos vejamos menos. A não ser que eu faça falta, e ainda que seja tarde, é absolutamente possível, a gente fazer dessa ausência, um encontro sem fim.

Verdade que preciso de vocês, mas vocês ainda mais, têm precisado de mim.

Me liga, quem sabe ainda dá certo.

leia tudo sobre

Publicidade

Com sua licença, o amor como autor

Por rodrigogoyanna em Marketing Pessoal, Relacionamento interpessoal, Sem categoria

13 de dezembro de 2016

Caro Leitor,

Quem vos escreve é o Amor, e pra quem não me conhece, eu já fui essencial na vida de muita gente.

Talvez já tenha escutado alguma história minha contada pela boca de seus pais, hoje sou uma parte ferida e menor do que um dia eu já fui, ao longo do tempo, diante de tantas perdas, eu mesmo me perdi.

Acho que já não acredito mais em vocês; como eu sei que muitos de vocês já não têm fé em mim. Dizer meu nome em vão nunca foi razão para viver o que eu faço sentir, ou mesmo sentir a mudança que eu provoco no viver.

Vocês subestimaram cada medida do meu ser.

Misturam minha essência com interesse, quando na verdade, só me interesso por gente que não se interessa por aquilo que a maioria considera mais interessante que eu. E acredite, na verdade nada o é.

Me sinto de lado, quando só queria estar do lado de dentro, aquele espaço que quando me deixam entrar, faço dele moradia.

Se outrora me rotulavam como cego, hoje são vocês os surdos; grito alto e não ouvem o que tento dizer através do coração. E ainda que eu não julgue ninguém por aparência, são vocês que precisam voltar a enxergar o que de fato os fazem especiais, ou simplesmente, aonde eu estou.

Não aprendi a nascer pequeno, mas nunca mensurei até onde posso ir. Meu melhor parâmetro é acreditar que vou ser sempre maior no amanhã.

Não me escondo, só não sou tão fácil de achar, porque ainda que gratuito, meu valor não diminui.

Eu sou o companheirismo na economia do casal para pagar a conta no fim do mês, mas vocês insistem em me procurar no prato caro do restaurante chique.

Eu sou as noites mal dormidas cuidando de quem dorme do lado direito do colchão, e não as noites mal geridas com tanto champagne para agradar quem acha que me tem.

Eu sou o pedaço de areia com vista pro pôr do sol da felicidade, enquanto me buscam no iate ancorado no porto do interesse.

Não sei aonde errei. Nunca pedi muito. Nunca custei caro. Pensei, levianamente ou pretensiosamente, que eu seria suficientemente bom para ser a única opção de quem escolhe viver um sonho a dois. Nunca imaginei que nesse caminho tortuoso que vocês chamam de vida, não fosse feito de mim cada tijolo que vocês deveriam pisar.

Receio que cada vez mais, nos vejamos menos. A não ser que eu faça falta, e ainda que seja tarde, é absolutamente possível, a gente fazer dessa ausência, um encontro sem fim.

Verdade que preciso de vocês, mas vocês ainda mais, têm precisado de mim.

Me liga, quem sabe ainda dá certo.