Publicidade

A volta da boemia

por Mayara Kiwi

musica

Esteban Tavares fará show hoje em Fortaleza

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

07 de outubro de 2017

Sábado é dia de aproveitar a vida e porque não fazer isso ouvindo uma boa trilha sonora?!

Hoje a festa fica por conta de um dos destaques da cena do rock nacional: Esteban Tavares. A noite também contará com a presença do DJ Felipe BK e dos músicos locais: Caike Falcão e Flakes, que estão responsáveis pelos shows de abertura.

Esteban Tavares (Foto: Divulgação)

Sobre o Esteban
Seu 1º trabalho solo, “¡Adios Esteban!”, foi lançado em agosto de 2012 e alcançou a marca de mais de 16 discos vendidos por minuto na pré-venda da versão física e 100 mil downloads no primeiro mês.

Ingressos:
Vendas (1º Lote):
Pranchão SurfShop (Todas de Fortaleza).
Kangaço Rock Street (Rua Senador Pompeu, 834).
Online: https://goo.gl/pqyxe1.
OBS.: Ingressos limitados.
R$ 52,00 (Normal) e R$ 102,00 (Ingresso + Meet & Greet).

Serviço:
Show Estaban Tavares
Dia: Sábado – 07/10
Horário: 22h
Local: Berlinda Club – R. Dragão do Mar, 198 Centro

Publicidade

A banda cearense Selvagens à Procura de Lei é confirmada no Lollapalooza 2018

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

28 de setembro de 2017

Em terras alencarinas, todo mundo já ouviu alguma música ou pelo menos já ouviu falar da banda Selvagens à Procura de Lei, mas esse sucesso todo não é a toa. Os meninos vem conquistando espaço na cena musical nacional, já tem algum tempo e nós, como cearenses orgulhosos, não podemos deixar de comemorar e enfatizar a linda trajetória da banda, né?!

Já são mais de 80 shows feitos nos dois anos do Tour Praieiro e vários méritos conquistados. “Tarde Livre”, por exemplo, foi eleita a melhor música de 2016 pela escolha do leitor da Rolling Stone Brasil e recentemente, a Revista Exame incluiu os Selvagens na matéria “11 Bandas Que Estão Mudando A Música Brasileira”.

A noticia de que eles estariam no lineup do Lollapalooza 2018, um dos maiores festivais de música em atividade, rapidamente se espalhou nas redes sociais, juntamente de várias mensagens de felicitações e comentários de pessoas empolgadas com a ideia de assistir ao show.

Foto: Pedro Margherito/Divulgação

 

O festival

A sétima edição do festival contará com mais de 70 atrações musicais divididas em 4 palcos, nos dias 23, 24 e 25 de março de 2018, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers, The Killers, Imagine Dragons, Lana Del Rey e LCD Soundsystem são as grandes atrações dessa edição.

A experiência vai muito além da música. O festival conta com diversos espaços, que vão desde áreas de descanso até os food trucks, pra garantir a sua qualidade de vida e energia para curtir a programação até o final.

Os ingressos podem ser adquiridos através do site do evento.

A banda

Em 2016, a Tour Praieiro percorreu 13 estados e mais de 20 cidades em 55 shows por todo o Brasil. Após um ano movimentado, os Selvagens à Procura de Lei consolidam sua trajetória, que começou a ser construída em Fortaleza, em 2009, por Rafael Martins (voz e guitarra), Gabriel Aragão (voz e guitarra), Caio Evangelista (voz e baixo) e Nicholas Magalhães (voz e bateria).

Produzido por David Corcos e gravado no estúdio Red Bull Station, Praieiro (2016), terceiro álbum da banda, remete as tardes livres antes da mudança dos integrantes para São Paulo e reforça a habilidade do grupo em unir o rock ao pop – seja na areia ou no asfalto.

Praieiro foi um pedido do público: financiado através de uma campanha de crowdfunding, a obra também foi bem recebida pela crítica especializada. “Tarde Livre”, o primeiro single do disco, foi eleita a melhor música nacional de 2016 pela escolha do leitor da Revista Rolling Stone Brasil. A faixa também já ultrapassa a marca 1 milhão de plays apenas na plataforma Spotify e alcança mais de 470 mil visualizações no YouTube.

No último ano, a banda passou por festivais nacionais importantes como DoSol Natal (RN), Feeling Pro Rock (SP), Festival Goiânia Noise (GO), Rio Novo Rock (RJ) e Banana Progressyva (SP), além de outros importantes palcos como o Planeta Terra (SP – 2011), Prêmio Multishow De Música Brasileira (apresentação com Capital Inicial – 2012), Porão do Rock (DF – 2013), Lollapalooza (SP – 2014), dentre outros eventos como a Virada Cultural (SP – 2013, 2014, 2015) e o Aniversário de 290 Anos de Fortaleza (CE – 2016).

Com grande força nas redes sociais, o grupo se aproxima cada vez mais do público cativo e agrega novos fãs. São mais de 105 mil curtidas do Facebook, mais de 25 mil seguidores no Instagram e no Twitter e 17 mil inscritos no canal do YouTube (mais de 1 milhão de views no clipe da música “Brasileiro”).

Siga os Selvagens à Procura de Lei nas redes:

Instagram – http://instagram.com/selvagensaprocuradelei
Facebook – http://www.facebook.com/sapdl
Twitter – https://twitter.com/sapdl

Publicidade

Com proposta multicultural, Selvagem ArtMix Festival confirma Raimundos e Baiana System em Fortaleza

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

15 de setembro de 2017

Música, teatro, dança, arte de rua, tudo no mesmo lugar, do pôr do sol ao amanhecer. Essa é a proposta do Selvagem ArtMix Festival, evento que estreia no próximo dia 2 de dezembro.

O festival nasce com a premissa de ressaltar o lado selvagem da vida. É um convite para encarar com muita garra o dia a dia na selva de pedra, viver a cidade e a cultura urbana ao máximo e ainda se conectar com as raízes, de onde tiramos personalidade, inspiração e criatividade. (E porque não aproveitar e beber uma catuaba geladinha, né?! )

Foto: Divulgação

O mix de referências se reflete na programação, que convida a uma mistura de experiências nessa virada multicultural. São shows de grandes nomes da música nacional, de nomes fortes da música cearense e apresentações de teatro, dança e grafite ao vivo.

“A ideia do Selvagem ArtMix é acontecer em várias cidades. Além de Fortaleza, em dezembro, vamos fazer em novembro no Rio de Janeiro, dentro do espaço Vivo Rio”, comenta Maurílio Fernandes, da Empire, que assina o evento.

Baiana System (foto: Divulgação)

Estrutura
O Selvagem ArtMix Festival conta com dois palcos, o Selvagem (para atrações nacionais) e o ArtMix (para as locais), além de espaço dedicado a food trucks de cardápio variado. O local será anunciado em breve.

Programação

Todo o line-up do festival está fechado, e duas atrações já foram divulgadas. BaianaSystem, grupo que busca ressignificar a sonoridade da música urbana produzida na Bahia – sob a influência dos sound systems, eles se utilizam do conceito de sistema como forma de amplificar não só o som, mas a essência das tradições populares.

E Raimundos, clássico do rock nacional com 20 anos de estrada que traz a turnê comemorativa com 20 hits escolhidos pelos fãs pela internet e músicas do trabalho mais recente, “Cantigas de Garagem”. Segundo Canisso, “o novo show é uma tentativa de contar essa história, são 20 anos de rock, uma dezena de discos, reggae, ska, forró, HC, pauleira, baladas, escolhidas a dedo pra galera pular muito e cantar junto, soltar os bichos. Festa do rock, pra quem aprecia e pra quem quer conhecer. Uma coisa é certa, difícil é ficar parado!”.

A produção do festival ainda não confirmou o local do evento e maiores informações sobre ingressos e pontos de vendas.

Publicidade

Em apresentação gratuita, Lidia Maria lança música inédita no projeto Curta São Luiz

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

12 de setembro de 2017

A cantora Lidia Maria chega ao projeto Curta São Luiz nessa quarta-feira13 de setembro, a partir das 12h30, para apresentar uma versão pocket do show Por inteiro, com músicas que mostram os diferentes pedaços da sua trajetória. Seja no pop ou no samba, no forró ou no carnaval, o denominador comum é a própria artista e a maneira natural como ela passeia por todos eles. Entre composições do primeiro CD Alma Leve, o repertório também faz um passeio por interpretações do Pessoal do Ceará, geração de artista como Fagner, Ednardo e Belchior, que influenciam diretamente o seu trabalho.

Lidia Maria  (Foto: Pedro Martins)

Lidia Maria (Foto: Pedro Martins)

A apresentação no Curta São Luiz, que é gratuita, vai contar com a participação de Alex Ramon, na guitarra e no violão, e de Jefferson Portela, na percussão e programações. Na ocasião, Lidia Maria vai apresentar uma música inédita, intitulada Saiam das Suas Casas, que faz uma reflexão sobre a tecnologia e o uso excessivo das redes sociais. Além disso, o show Por Inteiro é um olhar mais profundo da cantora sobre si mesma, mais festivo, mas sem deixar de ser melodioso. Violão e bandolim não poderiam ficar de fora, pois completam a sua identidade e atendem ao apelo do público, que sempre insistiu que ela tocasse nas apresentações.

Sobre a artista
Lidia Maria é cantora e compositora de Fortaleza. Em 2013, lançou o elogiado álbum autoral Alma Leve conquistando premiações, show no exterior, aparições na Globo e Globo News, músicas em rádios, videoclipe na TV e o reconhecimento do público e da crítica. Nesse novo momento, ela deseja continuar sua trajetória para alcançar outros públicos e lugares, dessa vez mostrando a sua alma de artista por inteiro.

 

 SERVIÇO

Projeto Curta São Luiz: Lidia Maria – Por Inteiro

Dia: 13/09/2017 – quarta-feira

Horário: 12h30

Local: Hall do Cineteatro São Luiz (Foyer)

Classificação: livre

Duração: 50 minutos

Entrada gratuita

 

Publicidade

Zéis lança seu primeiro disco solo e pode ter certeza que você vai gostar de ouvir

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

29 de agosto de 2017

Zéis é frontman da banda Capotes Pretos na Terra Marfim, atua na cena teatral de Fortaleza como ator, preparador vocal e em trilhas sonoras, mas, até agora, ainda não tinha um trabalho para chamar de seu. Em abril de 2016, o músico reuniu canções, conceitos e ideias e entrou em estúdio, em um trabalho que levaria cerca de um ano para ser concluído.

Com 10 faixas e participações especiais de Lorena Nunes, Andrezão GDS e Berg Menezes, o álbum foi lançado em versão física, e chega às plataformas digitais em setembro.

Zéis - De Preto em Blue

Zéis – De Preto em Blue

“A vontade de fazer esse álbum surgiu pela necessidade que senti de produzir uma música que conversasse mais diretamente com as pessoas sobre temas que não pude falar até agora nos meus outros trabalhos. Este álbum é também um encontro meu com mundos musicais que eu não pude explorar até aqui”, conta.

Com mais peso no instrumental e nas temáticas das letras (desigualdade social, racial e violência são alguns deles), Zéis apresenta em “De Preto em Blue” uma estreia solo de um artista maduro, criativo e versátil, unindo experimentação e pegada pop em uma mistura de gêneros que vai do maracatu ao rap, do folk ao brega, sem parecer uma colcha de retalhos, tudo fazendo sentido de estar junto e tendo seu lugar.

Processo criativo e participações especiais

“De Preto em Blue” foi todo construído ao lado do produtor Igor Miná, do Mocker Studio. Juntos, encontraram timbres especiais e arranjos trabalhados em camadas e camadas de sintetizadores, guitarras e samples modificados – cada música tem uma história de bastidor, um instrumento com função reimaginada (um teclado Yamaha dos anos 90 gravado com pedais de efeito de guitarra; um surdo de bateria afinado e tocado como alfaia; uma cuíca eletrônica criada com sintetizador; samples de bateria captados em estúdio e remontados digitalmente).

“Todo trabalho solo nunca é solo de verdade. A gente sempre precisa de muito mais gente envolvida, e isso dá muito mais sentido ao trabalho”, comenta.

Para a missão, Zéis contou com as participações da cantora Lorena Nunes, com quem divide os vocais na bela “Vai Ter Carnaval”; do rapper Andrezão GDS, que solta o verbo em “Retrovisor”; do baterista Artur Guidugli, dos Capotes Pretos; de Berg Menezes nos synths de “Sopro Vital”; e de Gigi Castro e Jânio Florêncio, parceiros nas composições “Sopro Vital” e “Vai Ter Carnaval”, respectivamente.

 

Outras plataformas

A versão digital do disco vai ser disponibilizada nas plataformas digitais de streaming e download como Spotify, Deezer, Apple Music e Google Play durante o mês de setembro, pelo selo Mocker Discos e distribuição via Tratore.

Sobre Zéis

Moisés Filipe, o Zéis, é cantor e compositor cearense formado em música pela Universidade Federal do Ceará. À frente dos Capotes Pretos na Terra Marfim, lançou o álbum homônimo à banda em 2015 e o EP “A Casa” em 2013. Tocou nos principais festivais de música de Fortaleza, como Maloca Dragão, Mostra Petrúcio Maia, Feira da Música, Conecta, Festival UFC de Cultura, Manifesta e Grito Rock. Estreou o show solo em dezembro de 2016 em formato trio, assumindo o baixo e utilizando samples ao vivo. É atuante no cenário teatral da cidade como ator, preparador vocal e compondo sonoplastias para espetáculos.

Canal no Youtube

Um bônus pra quem quer ver um pouco de como foi o processo de produção do disco, no canal do Zéis, você pode encontrar vários vídeos que formam uma espécie de linha do tempo, mostrando a construção do álbum e é claro, clipes e vídeos do artista. Vale a pena, assistir!

Para conhecer e acessar:

Facebook: http://www.facebook.com/zeisfanpageoficial

YouTube: http://www.youtube.com/c/zeisoficial

Publicidade

“Eu não faço do palco um palanque”, diz Tico Santa Cruz em sua passagem pelo Ceará.

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

29 de maio de 2017

O músico e vocalista da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, fez uma passagem pelo Ceará, para fazer duas apresentações, uma em Fortaleza e outra em Juazeiro do Norte. Nós fomos ao Let’s Go Bar, conferir um dos shows, que foi cheio de influências do rock nacional e internacional. O repertório foi desde Cazuza e Legião Urbana até Rage Against The Machine, uma banda da Califórnia.

No palco, ele ainda afirmou ter vindo recentemente ao Ceará, mas que infelizmente não deu para tocar. “Estava louco para fazer um show aqui”, disse Tico. Após o show, ele recebeu os fãs no camarim, tirou fotos e ainda dividiu o palco com as duas bandas locais que tocaram na mesma noite.

Tico Santa Cruz

Tico Santa Cruz (Foto: Mayara Kiwi)

Nas redes sociais, o artista comenta: “Voltando pro Rio de Janeiro depois de dois shows maravilhosos no meu amado Nordeste. Obrigado Fortaleza e Juazeiro do Norte.”.

Confira o papo que batemos com o músico:

Você acredita na música como ferramenta transformadora de cenários e espaços?
Tico Santa Cruz: Acredito que a música mexe muito com a sensibilidade das pessoas, ela tem uma carga emocional muito grande com relação ao momento e ao estado de espírito que a pessoa está no momento. Uma música pode atingir você de várias formas diferentes. Eu me lembro muito, que nos anos 90, quando eu era moleque e estava correndo atrás dos meus sonhos, eu ouvia algumas coisas do Charlie Brown Jr e tinham músicas que me incentivavam a querer lutar e seguir acreditando no meu trabalho, mas ao mesmo tempo, ouvia várias músicas do R.E.M, que nos momentos de “bad“, me confortaram e me deram uma sensação de amor, de carinho, de me sentir confortável novamente. Eu vejo que o Detonautas tem essa coisa com os fãs, com as letras e tudo mais, que mexe muito com essa coisa da transformação da pessoa. Tem muita gente que está passando por um momento difícil e vai encontrar na música um canal, uma ligação pra poder transformar alguma coisa na própria vida.

E sobre os seus projetos atuais?
Tico Santa Cruz: O Detonautas está lançando um disco agora em julho, um disco totalmente inesperado, porque a gente apontou pra um outro lado completamente diferente do que foi o álbum anterior. Paralelo ao Detonautas, eu faço esses shows com bandas locais, onde eu mostro minhas influências, bandas que eu gosto, os artistas que gosto de cantar e misturo com algumas coisas dos Detonautas. Extra isso tudo, tem um livro infantil, que vou lançar esse ano. É a primeira vez que escrevo para crianças. Tenho as atividades relacionadas ao meu ativismo, que eu procuro exercer de maneira bem responsável e bem atuante também. Então são muitas frentes que eu trabalho paralelo ao Detonautas e que eu acho que no final das contas tudo vai se conectar.

Existe uma conexão do seu ativismo com a sua música?
Tico Santa Cruz: Como no Brasil o debate político, ainda é algo muito raso e muito sujo, no sentido de poluído, as pessoas confundem bastante minha posição pessoal com o meu trabalho com a banda, entende?! Meu trabalho com a banda é um trabalho de música, que tem também uma parte política e tudo mais, mas eu não faço do palco um palanque. Meu trabalho como ativista, aí já outra coisa. Como eu sou líder da banda e acaba que a figura do vocalista, de forma equivocada, fica muito ligada com o nome da banda, as pessoas acabam confundindo e criando ou uma simpatia ou uma antipatia por isso. Em um momento de polarização como o que estamos vivendo, isso não é muito bom pra arte, é dever da arte se envolver sim, com questões politicas, sociais, questões que dizem respeito ao que a gente vive no nosso país, porque ela tem essa função também de transformar nesse sentido.

Você veio a Fortaleza no ano passado, debater sobre a juventude negra. Pode contar pra gente um pouco mais sobre isso?
Tico Santa Cruz: Eu vim pra cá falar sobre a juventude negra, foi um evento que eu fui convidado, não pra que eu falasse sobre o exterminio da juventude negra, porque não é o meu lugar de fala. Existem pessoas que vivenciam muito mais isso na pele do que eu. A minha missão era chamar atenção pro assunto, usar um pouco do beneficio da figura publica pra chamar atenção pra uma pauta relevante. Sou branco, uma pessoa de classe média, dificilmente passo por situações como essa, embora eu tenha sido adotado na minha adolescência por uma família negra e tenha vivenciado experiências com eles e principalmente com meu irmão,  já que em todos os lugares que nós íamos, ele era revistado ou era o cara barrado nas portas da boates e das baladas. Pude olhar isso pelo meu ângulo, mas não pelo ângulo de quem é negro e de quem vive na pele, então eu só vim aqui chamar atenção pra esse assunto e acabou que fluiu bem e acho que foi bem positiva a pauta.

Algum recado para Fortaleza?
Tico Santa Cruz: A galera de Fortaleza sempre me recebe muito bem, sempre me sinto muito a vontade aqui. Realmente adoro. Sinto muita saudade de vir aqui todo ano fazer shows e estar junto com o pessoal daqui. E o recado que deixo, é que a galera fique atenta, consciente e que a gente possa de alguma maneira lutar pela nossa democracia e pelo direito de cada um ter sua opinião e acima de tudo, respeitar o posicionamento de cada pessoa e lutar pelo país, porque estamos num ciclo muito perigoso e não é positivo pra ninguém esse momento. Se a gente não se ligar que a coisa é maior do que só essa polarização aí, certamente o Brasil vai ter muita dificuldade pra voltar a um patamar de condições dignas pra pessoas, mesmo que sejam minimas, como estava acontecendo em tempos mais descentes.

Publicidade

Praça Verde recebe festival de música com 60 atrações durante 12 horas de festa

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

26 de maio de 2017

Essa é especial aos boêmios que gastam horas da noite, reclamando da falta de programação interessante na cidade. O Garage Sounds é praticamente um presente e um respiro da mesmice que sempre acabamos caindo em Fortaleza. O festival se consolidou como o maior evento de música independente do Nordeste e está entre os mais importantes do Brasil.

O Garage Sounds, chega para fortalecer o lançamento de tendências e novos artistas locais e nacionais, além de abrir espaço e servir de vitrine aos músicos e bandas que lutam por um espaço no mercado tão concorrido, como o musical.
Depois do sucesso da primeira edição realizada em janeiro deste ano, ele chega à segunda etapa, ainda mais forte.

A edição 2017.2 está marcada para o dia 8 de julho e os ingressos já estão disponíveis nas lojas Clikks Eyewear (Shopping Iguatemi, Shopping Riomar, Shopping Benfica, Shopping Parangaba), loja Bronx Street Culture – Galeria Pedro Jorge (Centro) e pelo site www.ingressando.com.br.

Serão montados cinco palcos na Praça Verde do Dragão do Mar, por onde vão passar mais de 60 atrações que se apresentam durante 12 horas de festa.

Garage Sounds -Line-up

Garage Sounds -Line-up

SERVIÇOS:
Data: 08 de Julho
Local: Praça Verde do Dragão do Mar
Horário: 14h
Ingressos: R$50,00 (meia) | R$55,00 + Livro (meia social)
Pontos de venda: Lojas Clikks Eyewear (Shopping Iguatemi, Shopping Riomar, Shopping Benfica, Shopping Parangaba), loja Bronx Street Culture – Galeria Pedro Jorge (Centro)
Venda Online já disponível: www.ingressando.com.br
Informações: www.garagesounds.com.br

Publicidade

VIII Mostra de Música Petrúcio Maia acontece em Fortaleza

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

16 de janeiro de 2017

Banda Casa de Velho

Banda Casa de Velho
(Foto: Pedro Gomes)

O calendário cultural de Fortaleza está recheado com uma programação das mais variadas vertentes e como nós já declaramos o nosso amor pela música, não poderíamos deixar de falar da VIII Mostra de Música Petrúcio Maia, que a oito edições vem contribuindo efetivamente para o crescimento da cena musical local e promovendo a interação do público com os artistas.

Passarão pelo palco 36 atrações, que garantem a pluralidade musical cearense e cujos estilos variam do punk ao tradicional samba, passando pelo rap, forró, instrumental e reggae.

São elas: Plenitude, Slide Groove, Renegados, Natanael Quinteto, Andrézão GDS, Capotes Pretos na Terra Marfim, Marco Fukuda, Por um Trio, Daniel Sansil e os Malucos do Brasil, Lil Balack, Plastique Noir, Lidia Maria, Marimbanda, Danchá, Casa de Velho, Nonato Lima, Allysson dos Anjos, LILT, Old Books Room, Andrea Manoel, Lélis, Cambará, Jack The Joker, Caio Castelo, Gustavo Portela, Gabriel Yang, Murmurando, Tripulantes da Sabiabarca, David Avila, Nayra Costa & Los Flenkys Boys.

Uma das novidades esse ano é a participação de seis artistas/bandas finalistas do I Festival de Música da Juventude, realizado em 2016, que são: Indiada Buena, Nafandus, Projeto Acorde, Projeto Rivera, Fellipe Lustosa e Original Rap Cearense. A ideia é incentivar e dar visibilidade aos jovens músicos da cultura local e que possuem planos profissionais.

Carona solidária

A mostra incentiva a carona solidária.

Além de ser uma ótima oportunidade para saber o que está rolando na cena musical alencarina, a Mostra ainda faz questão de dizer que crianças são vindas e adota campanhas como “Venha de carona” e “adote um copo”.

Vamos conferir?

SERVIÇO:
VIII Mostra de Música Petrúcio Maia
Dia: 17 a 22 de janeiro
Horário: a partir das 18h
Local: na Praça da Paz Dom Helder Câmara
(antiga Praça 31 de Março), Praia do Futuro.
Informações: 3262 5011


Praça Dom Hélder Câmara

A escolha da Praça da Paz Dom Hélder Câmara para sediar a oitava edição da Mostra está alinhada aos objetivos da nova gestão da Secultfor, em priorizar a ocupação artística nos mais variados espaços públicos da cidade. Ressalta-se que a praça mudou de nome – antes chamada 31 de Março – por meio de uma iniciativa do secretário da Cultura, Evaldo Lima, enquanto atuava como vereador na Câmara Municipal de Fortaleza. A mudança, por meio de um Projeto de Lei, teve a intenção de retirar a homenagem a data do golpe militar de 1964.

Arte e gastronomia
Assim como na edição anterior, a Mostra contará ainda com a Feira de Artes e Gastronomia, que movimentará ainda mais o evento neste ano. Durante os seis dias de Mostra, além das 36 atrações musicais que subirão ao palco, o público presente poderá visitar e conhecer diversos expositores com produtos ligados à moda, arte e design, além de experimentar delícias com preços acessíveis, aproximando o visitante dos chefs e de diferentes sabores dos diversos segmentos da gastronomia local.

Sobre a Mostra de Música Petrúcio Maia
A Mostra de Música Petrúcio Maia já se consolidou no calendário cultural de Fortaleza e vem se tornado um dos eventos mais importantes para a cena autoral cearense. Na última década, tem acompanhado o cenário musical local, apresentando um panorama da nossa música, bem como realizando um mapeamento da produção e das novas gerações de artistas.

De 2006 – ano de sua primeira edição – até 2015, a Mostra contou com mais de 350 artistas e grupos participantes. O evento homenageia o compositor cearense Petrúcio Maia, um dos mais importantes da cena local, conhecido por composições como “Lupicínica” e “Cebola Cortada” e parceiro de Fausto Nilo na música ´Dorothy L´amou´, entre outros clássicos da música cearense.

A Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza acredita na ocupação da cidade por meio de um diálogo entre artistas locais e nacionais, a fim de promover ricas trocas de experiência e conhecimento, em especial por meio das residências durante o período da Mostra.

A Mostra de Música Petrúcio Maia é uma realização da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Cultura (Secultfor), em parceria com a Associação de Produtores de Cultura do Ceará (Prodisc).

 

leia tudo sobre

Publicidade

[Já ouviu?] – Um passeio pela cena musical cearense

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

18 de outubro de 2016

Procurando kalu

Banda Procurando kalu

Precisamos falar sobre o maravilhoso mundo da música local, que vem crescendo e dando trilha para a vida de muita gente por aqui. Afinal, se é a música que move o mundo, os músicos e bandas cearenses nos pegam pelas mãos e nos conduzem a uma imersão de experiências verdadeiramente únicas e cheias de personalidade.

Dedico então esse espaço para falar desses incríveis trabalhos que todo mundo deveria conhecer e quem sabe até adicionar à playlist. Então vamos lá?!

CAPOTES PRETOS NA TERRA MARFIM:

Eu desafio você a escutar parado ou sem mexer pelo menos um pé.  Capotes Pretos na Terra Marfim têm uma base de fãs fiel construída a partir de intervenções urbanas, além de apresentações nos principais festivais de música alternativa e autoral de Fortaleza. A banda conta com dois trabalhos já lançados. No show, apresenta canções já gravadas e também inéditas, resultando em uma performance contagiante.

Que tal ir com eles pra Terra Marfim?

Soundcloud:

MATHEUS SANTIAGO:

Atualmente, o trabalho de Matheus Santiago é afetado pelas experiências e sentimentos vividos no trânsito entre Ceará e Minas. Seu primeiro Ep, Votu, gravado no Estúdio Totem em Fortaleza está em fase de finalização. Votu significa vento em tupi-guarani O título remete ao vento pela percepção desse elemento da natureza ter a capacidade tanto de levar quanto de trazer, tanto de alentar como revirar. Ser vento é estar em constante mutação, assim essas canções podem sobrevoar tanto a Praia de Iracema quanto a Praça Minas Gerais.

Um disco cheio de detalhes que te envolvem por completo.

 

 

 

LÉLIS: 
Passeando por cenários regionais, tambores afro-brasileiros e influenciado por ritmos como o reggae, jazz e hip hop, o projeto LÉLIS, idealizado pelo multi-instrumentista Fernando Lélis, lança interpretações acerca dos fenômenos humanos no contexto moderno.

Em duas palavras?  Envolvente e viciante!

Soundcloud:

BERG MENEZES:
Há vida nova no pop rock cearense: Berg Menezes, conhecido pelos trabalhos solo Imperfeito (2013) e Vagabundo (2014), reúne as referências e experiências de 10 anos de carreira em primeiro álbum solo. Intitulado Pedra, o disco traz 12 faixas que vão buscar nos anos 90 sua base, mas que ganham contornos contemporâneos e maduros com guitarras, vozes e sintetizadores cheios de efeitos.

Ora experimentais, ora barulhentas, mas sem nunca perder a poesia.

Spotify:


PROCURANDO KALU:
O baião nordestino, o carimbó paraense, o brega abolerado, o rock experimental aqui se apresentam em roupas e cores, em corpo e movimento, em ritmos e canções, um pouco disso é experimentado no EP “tá na cama” lançado pela banda em 2015.

Não dá pra tirar os olhos, tampouco os ouvidos deles. Hipnotizante!

Soundcloud:

leia tudo sobre

Publicidade

Esteban Tavares fará show hoje em Fortaleza

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

07 de outubro de 2017

Sábado é dia de aproveitar a vida e porque não fazer isso ouvindo uma boa trilha sonora?!

Hoje a festa fica por conta de um dos destaques da cena do rock nacional: Esteban Tavares. A noite também contará com a presença do DJ Felipe BK e dos músicos locais: Caike Falcão e Flakes, que estão responsáveis pelos shows de abertura.

Esteban Tavares (Foto: Divulgação)

Sobre o Esteban
Seu 1º trabalho solo, “¡Adios Esteban!”, foi lançado em agosto de 2012 e alcançou a marca de mais de 16 discos vendidos por minuto na pré-venda da versão física e 100 mil downloads no primeiro mês.

Ingressos:
Vendas (1º Lote):
Pranchão SurfShop (Todas de Fortaleza).
Kangaço Rock Street (Rua Senador Pompeu, 834).
Online: https://goo.gl/pqyxe1.
OBS.: Ingressos limitados.
R$ 52,00 (Normal) e R$ 102,00 (Ingresso + Meet & Greet).

Serviço:
Show Estaban Tavares
Dia: Sábado – 07/10
Horário: 22h
Local: Berlinda Club – R. Dragão do Mar, 198 Centro