Publicidade

A volta da boemia

por Mayara Kiwi

cearense

Cervejaria Luzterr chega ao mercado de cervejas artesanais

Por Mayara Kiwi em Diversão

25 de outubro de 2017

Uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor, já dizia Chico Science.
É com essa sagaz e icônica frase, que damos a boa noticia para os amantes e apreciadores de uma boa cerveja artesanal:  Tem novidade chegando ao mercado.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

A Luzterr é a primeira cervejaria cigana a utilizar a estrutura de uma fábrica cearense, que será lançada oficialmente nessa quinta-feira, na Taproom da 5Elementos. As novidades não param por aí, na ocasião, será exibido um mini doc, produzido pela Fliperama Filmes, que conta um pouco da história da mais nova cervejaria cearense do Ceará.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

A cervejaria
A Luzterr, na verdade, iniciou suas atividades em 2016. O que motivou os amigos Eduardo Lopes, Fernando Pinheiro, Rafael Caneca e Bruno Biú para a criação da marca foi, claro, a paixão pela bebida e seu modo de preparo. Ainda em 2014, brassar uma receita nova de cerveja virou motivo de reunião entre os quatro. Após dois anos de experimentações, as cervejas começaram a passar com louvor pela aprovação de familiares e grupos de amigos, até chegar aos eventos cervejeiros locais. Nesse período, a marca chegou a produzir 425 litros de cerveja, com uma lista de pedidos de espera de até seis meses.

Com o retorno positivo e a vontade de empreender, surgiu a ideia de criar oficialmente uma marca própria. Assim, a etapa seguinte foi desenvolver e comercializar os novos rótulos, que estarão à disposição do público não apenas nos eventos e festas, mas também em pontos de venda especializados, como o Owl Pub, Hey Ho, /bru/ e Mestre Cervejeiro. Além disso, os produtos estarão disponíveis na própria 5Elementos, cervejaria e fábrica onde as cervejas da Luzterr foram produzidas.

“Sabemos que o mercado cresce não só no número de apreciadores, mas também de cervejeiros fazendo suas próprias receitas. Nesses mais de dois anos de experimentações, e com os retornos positivos, chegamos no ponto em que há demanda para as cervejas Luzterr e oportunidades para que nos tornemos uma marca forte no cenário atual da cerveja artesanal”, explica Bruno Biú, um dos sócios da cervejaria.

Rótulos

Inicialmente, a marca cearense traz para o mercado dois rótulos de cerveja artesanal. A Blond Luzterr, por exemplo, segue a tradição belga para entregar aos paladares mais exigentes uma cerveja dourada, levemente frutada, em equilíbrio com um amargor moderado. Sua refrescância harmoniza com qualquer happy hour, casa ou boteco, sempre acompanhada daquele petisco clássico. Já a Red Luzterr é uma legítima irish red ale, em que o malte com um toque caramelizado dá a intensidade certa para esta bebida de coloração vermelha, ideal para acompanhar pratos de sabor mais forte.

Próximos eventos

Além do lançamento oficial no dia 26 de outubro, a Luzterr já confirmou participação em mais dois eventos em Fortaleza. No dia 28/10, das 10h às 20h, a marca estará presente na Oktober Fest da Mestre Cervejeiro. E no dia 01 de novembro, os amantes de cerveja artesanal poderão conhecer e degustar os dois rótulos na Festa Dia de los Muertos, que acontece no /bru/.

SERVIÇO

Lançamento oficial da Luzterr⠀
Data: 26/10/2017
Horário: 16h às 21h
Local: 5Elementos – Av. Cel. José Philomeno Gomes, 1152

Oktober Fest
Data: 28/10/2017
Horário: 10h às 20h
Local: Mestre Cervejeiro – Av. Senador Virgílio Távora, 1055

Festa Dia de los Muertos
Data: 01/11/2017
Horário: à definir
Local: Avenida Julio Abreu 160, loja 18

 

Publicidade

A banda cearense Selvagens à Procura de Lei é confirmada no Lollapalooza 2018

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

28 de setembro de 2017

Em terras alencarinas, todo mundo já ouviu alguma música ou pelo menos já ouviu falar da banda Selvagens à Procura de Lei, mas esse sucesso todo não é a toa. Os meninos vem conquistando espaço na cena musical nacional, já tem algum tempo e nós, como cearenses orgulhosos, não podemos deixar de comemorar e enfatizar a linda trajetória da banda, né?!

Já são mais de 80 shows feitos nos dois anos do Tour Praieiro e vários méritos conquistados. “Tarde Livre”, por exemplo, foi eleita a melhor música de 2016 pela escolha do leitor da Rolling Stone Brasil e recentemente, a Revista Exame incluiu os Selvagens na matéria “11 Bandas Que Estão Mudando A Música Brasileira”.

A noticia de que eles estariam no lineup do Lollapalooza 2018, um dos maiores festivais de música em atividade, rapidamente se espalhou nas redes sociais, juntamente de várias mensagens de felicitações e comentários de pessoas empolgadas com a ideia de assistir ao show.

Foto: Pedro Margherito/Divulgação

 

O festival

A sétima edição do festival contará com mais de 70 atrações musicais divididas em 4 palcos, nos dias 23, 24 e 25 de março de 2018, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Pearl Jam, Red Hot Chili Peppers, The Killers, Imagine Dragons, Lana Del Rey e LCD Soundsystem são as grandes atrações dessa edição.

A experiência vai muito além da música. O festival conta com diversos espaços, que vão desde áreas de descanso até os food trucks, pra garantir a sua qualidade de vida e energia para curtir a programação até o final.

Os ingressos podem ser adquiridos através do site do evento.

A banda

Em 2016, a Tour Praieiro percorreu 13 estados e mais de 20 cidades em 55 shows por todo o Brasil. Após um ano movimentado, os Selvagens à Procura de Lei consolidam sua trajetória, que começou a ser construída em Fortaleza, em 2009, por Rafael Martins (voz e guitarra), Gabriel Aragão (voz e guitarra), Caio Evangelista (voz e baixo) e Nicholas Magalhães (voz e bateria).

Produzido por David Corcos e gravado no estúdio Red Bull Station, Praieiro (2016), terceiro álbum da banda, remete as tardes livres antes da mudança dos integrantes para São Paulo e reforça a habilidade do grupo em unir o rock ao pop – seja na areia ou no asfalto.

Praieiro foi um pedido do público: financiado através de uma campanha de crowdfunding, a obra também foi bem recebida pela crítica especializada. “Tarde Livre”, o primeiro single do disco, foi eleita a melhor música nacional de 2016 pela escolha do leitor da Revista Rolling Stone Brasil. A faixa também já ultrapassa a marca 1 milhão de plays apenas na plataforma Spotify e alcança mais de 470 mil visualizações no YouTube.

No último ano, a banda passou por festivais nacionais importantes como DoSol Natal (RN), Feeling Pro Rock (SP), Festival Goiânia Noise (GO), Rio Novo Rock (RJ) e Banana Progressyva (SP), além de outros importantes palcos como o Planeta Terra (SP – 2011), Prêmio Multishow De Música Brasileira (apresentação com Capital Inicial – 2012), Porão do Rock (DF – 2013), Lollapalooza (SP – 2014), dentre outros eventos como a Virada Cultural (SP – 2013, 2014, 2015) e o Aniversário de 290 Anos de Fortaleza (CE – 2016).

Com grande força nas redes sociais, o grupo se aproxima cada vez mais do público cativo e agrega novos fãs. São mais de 105 mil curtidas do Facebook, mais de 25 mil seguidores no Instagram e no Twitter e 17 mil inscritos no canal do YouTube (mais de 1 milhão de views no clipe da música “Brasileiro”).

Siga os Selvagens à Procura de Lei nas redes:

Instagram – http://instagram.com/selvagensaprocuradelei
Facebook – http://www.facebook.com/sapdl
Twitter – https://twitter.com/sapdl

Publicidade

[Já ouviu?] – Um passeio pela cena musical cearense

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

18 de outubro de 2016

Procurando kalu

Banda Procurando kalu

Precisamos falar sobre o maravilhoso mundo da música local, que vem crescendo e dando trilha para a vida de muita gente por aqui. Afinal, se é a música que move o mundo, os músicos e bandas cearenses nos pegam pelas mãos e nos conduzem a uma imersão de experiências verdadeiramente únicas e cheias de personalidade.

Dedico então esse espaço para falar desses incríveis trabalhos que todo mundo deveria conhecer e quem sabe até adicionar à playlist. Então vamos lá?!

CAPOTES PRETOS NA TERRA MARFIM:

Eu desafio você a escutar parado ou sem mexer pelo menos um pé.  Capotes Pretos na Terra Marfim têm uma base de fãs fiel construída a partir de intervenções urbanas, além de apresentações nos principais festivais de música alternativa e autoral de Fortaleza. A banda conta com dois trabalhos já lançados. No show, apresenta canções já gravadas e também inéditas, resultando em uma performance contagiante.

Que tal ir com eles pra Terra Marfim?

Soundcloud:

MATHEUS SANTIAGO:

Atualmente, o trabalho de Matheus Santiago é afetado pelas experiências e sentimentos vividos no trânsito entre Ceará e Minas. Seu primeiro Ep, Votu, gravado no Estúdio Totem em Fortaleza está em fase de finalização. Votu significa vento em tupi-guarani O título remete ao vento pela percepção desse elemento da natureza ter a capacidade tanto de levar quanto de trazer, tanto de alentar como revirar. Ser vento é estar em constante mutação, assim essas canções podem sobrevoar tanto a Praia de Iracema quanto a Praça Minas Gerais.

Um disco cheio de detalhes que te envolvem por completo.

 

 

 

LÉLIS: 
Passeando por cenários regionais, tambores afro-brasileiros e influenciado por ritmos como o reggae, jazz e hip hop, o projeto LÉLIS, idealizado pelo multi-instrumentista Fernando Lélis, lança interpretações acerca dos fenômenos humanos no contexto moderno.

Em duas palavras?  Envolvente e viciante!

Soundcloud:

BERG MENEZES:
Há vida nova no pop rock cearense: Berg Menezes, conhecido pelos trabalhos solo Imperfeito (2013) e Vagabundo (2014), reúne as referências e experiências de 10 anos de carreira em primeiro álbum solo. Intitulado Pedra, o disco traz 12 faixas que vão buscar nos anos 90 sua base, mas que ganham contornos contemporâneos e maduros com guitarras, vozes e sintetizadores cheios de efeitos.

Ora experimentais, ora barulhentas, mas sem nunca perder a poesia.

Spotify:


PROCURANDO KALU:
O baião nordestino, o carimbó paraense, o brega abolerado, o rock experimental aqui se apresentam em roupas e cores, em corpo e movimento, em ritmos e canções, um pouco disso é experimentado no EP “tá na cama” lançado pela banda em 2015.

Não dá pra tirar os olhos, tampouco os ouvidos deles. Hipnotizante!

Soundcloud:

leia tudo sobre

Publicidade

[Já ouviu?] – Um passeio pela cena musical cearense

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

18 de outubro de 2016

Procurando kalu

Banda Procurando kalu

Precisamos falar sobre o maravilhoso mundo da música local, que vem crescendo e dando trilha para a vida de muita gente por aqui. Afinal, se é a música que move o mundo, os músicos e bandas cearenses nos pegam pelas mãos e nos conduzem a uma imersão de experiências verdadeiramente únicas e cheias de personalidade.

Dedico então esse espaço para falar desses incríveis trabalhos que todo mundo deveria conhecer e quem sabe até adicionar à playlist. Então vamos lá?!

CAPOTES PRETOS NA TERRA MARFIM:

Eu desafio você a escutar parado ou sem mexer pelo menos um pé.  Capotes Pretos na Terra Marfim têm uma base de fãs fiel construída a partir de intervenções urbanas, além de apresentações nos principais festivais de música alternativa e autoral de Fortaleza. A banda conta com dois trabalhos já lançados. No show, apresenta canções já gravadas e também inéditas, resultando em uma performance contagiante.

Que tal ir com eles pra Terra Marfim?

Soundcloud:

MATHEUS SANTIAGO:

Atualmente, o trabalho de Matheus Santiago é afetado pelas experiências e sentimentos vividos no trânsito entre Ceará e Minas. Seu primeiro Ep, Votu, gravado no Estúdio Totem em Fortaleza está em fase de finalização. Votu significa vento em tupi-guarani O título remete ao vento pela percepção desse elemento da natureza ter a capacidade tanto de levar quanto de trazer, tanto de alentar como revirar. Ser vento é estar em constante mutação, assim essas canções podem sobrevoar tanto a Praia de Iracema quanto a Praça Minas Gerais.

Um disco cheio de detalhes que te envolvem por completo.

 

 

 

LÉLIS: 
Passeando por cenários regionais, tambores afro-brasileiros e influenciado por ritmos como o reggae, jazz e hip hop, o projeto LÉLIS, idealizado pelo multi-instrumentista Fernando Lélis, lança interpretações acerca dos fenômenos humanos no contexto moderno.

Em duas palavras?  Envolvente e viciante!

Soundcloud:

BERG MENEZES:
Há vida nova no pop rock cearense: Berg Menezes, conhecido pelos trabalhos solo Imperfeito (2013) e Vagabundo (2014), reúne as referências e experiências de 10 anos de carreira em primeiro álbum solo. Intitulado Pedra, o disco traz 12 faixas que vão buscar nos anos 90 sua base, mas que ganham contornos contemporâneos e maduros com guitarras, vozes e sintetizadores cheios de efeitos.

Ora experimentais, ora barulhentas, mas sem nunca perder a poesia.

Spotify:


PROCURANDO KALU:
O baião nordestino, o carimbó paraense, o brega abolerado, o rock experimental aqui se apresentam em roupas e cores, em corpo e movimento, em ritmos e canções, um pouco disso é experimentado no EP “tá na cama” lançado pela banda em 2015.

Não dá pra tirar os olhos, tampouco os ouvidos deles. Hipnotizante!

Soundcloud: