Publicidade

A volta da boemia

por Mayara Kiwi

cearense

[Já ouviu?] – Um passeio pela cena musical cearense

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

18 de outubro de 2016

Procurando kalu

Banda Procurando kalu

Precisamos falar sobre o maravilhoso mundo da música local, que vem crescendo e dando trilha para a vida de muita gente por aqui. Afinal, se é a música que move o mundo, os músicos e bandas cearenses nos pegam pelas mãos e nos conduzem a uma imersão de experiências verdadeiramente únicas e cheias de personalidade.

Dedico então esse espaço para falar desses incríveis trabalhos que todo mundo deveria conhecer e quem sabe até adicionar à playlist. Então vamos lá?!

CAPOTES PRETOS NA TERRA MARFIM:

Eu desafio você a escutar parado ou sem mexer pelo menos um pé.  Capotes Pretos na Terra Marfim têm uma base de fãs fiel construída a partir de intervenções urbanas, além de apresentações nos principais festivais de música alternativa e autoral de Fortaleza. A banda conta com dois trabalhos já lançados. No show, apresenta canções já gravadas e também inéditas, resultando em uma performance contagiante.

Que tal ir com eles pra Terra Marfim?

Soundcloud:

MATHEUS SANTIAGO:

Atualmente, o trabalho de Matheus Santiago é afetado pelas experiências e sentimentos vividos no trânsito entre Ceará e Minas. Seu primeiro Ep, Votu, gravado no Estúdio Totem em Fortaleza está em fase de finalização. Votu significa vento em tupi-guarani O título remete ao vento pela percepção desse elemento da natureza ter a capacidade tanto de levar quanto de trazer, tanto de alentar como revirar. Ser vento é estar em constante mutação, assim essas canções podem sobrevoar tanto a Praia de Iracema quanto a Praça Minas Gerais.

Um disco cheio de detalhes que te envolvem por completo.

 

 

 

LÉLIS: 
Passeando por cenários regionais, tambores afro-brasileiros e influenciado por ritmos como o reggae, jazz e hip hop, o projeto LÉLIS, idealizado pelo multi-instrumentista Fernando Lélis, lança interpretações acerca dos fenômenos humanos no contexto moderno.

Em duas palavras?  Envolvente e viciante!

Soundcloud:

BERG MENEZES:
Há vida nova no pop rock cearense: Berg Menezes, conhecido pelos trabalhos solo Imperfeito (2013) e Vagabundo (2014), reúne as referências e experiências de 10 anos de carreira em primeiro álbum solo. Intitulado Pedra, o disco traz 12 faixas que vão buscar nos anos 90 sua base, mas que ganham contornos contemporâneos e maduros com guitarras, vozes e sintetizadores cheios de efeitos.

Ora experimentais, ora barulhentas, mas sem nunca perder a poesia.

Spotify:


PROCURANDO KALU:
O baião nordestino, o carimbó paraense, o brega abolerado, o rock experimental aqui se apresentam em roupas e cores, em corpo e movimento, em ritmos e canções, um pouco disso é experimentado no EP “tá na cama” lançado pela banda em 2015.

Não dá pra tirar os olhos, tampouco os ouvidos deles. Hipnotizante!

Soundcloud:

leia tudo sobre

Publicidade

[Já ouviu?] – Um passeio pela cena musical cearense

Por Mayara Kiwi em Diversão e cultura

18 de outubro de 2016

Procurando kalu

Banda Procurando kalu

Precisamos falar sobre o maravilhoso mundo da música local, que vem crescendo e dando trilha para a vida de muita gente por aqui. Afinal, se é a música que move o mundo, os músicos e bandas cearenses nos pegam pelas mãos e nos conduzem a uma imersão de experiências verdadeiramente únicas e cheias de personalidade.

Dedico então esse espaço para falar desses incríveis trabalhos que todo mundo deveria conhecer e quem sabe até adicionar à playlist. Então vamos lá?!

CAPOTES PRETOS NA TERRA MARFIM:

Eu desafio você a escutar parado ou sem mexer pelo menos um pé.  Capotes Pretos na Terra Marfim têm uma base de fãs fiel construída a partir de intervenções urbanas, além de apresentações nos principais festivais de música alternativa e autoral de Fortaleza. A banda conta com dois trabalhos já lançados. No show, apresenta canções já gravadas e também inéditas, resultando em uma performance contagiante.

Que tal ir com eles pra Terra Marfim?

Soundcloud:

MATHEUS SANTIAGO:

Atualmente, o trabalho de Matheus Santiago é afetado pelas experiências e sentimentos vividos no trânsito entre Ceará e Minas. Seu primeiro Ep, Votu, gravado no Estúdio Totem em Fortaleza está em fase de finalização. Votu significa vento em tupi-guarani O título remete ao vento pela percepção desse elemento da natureza ter a capacidade tanto de levar quanto de trazer, tanto de alentar como revirar. Ser vento é estar em constante mutação, assim essas canções podem sobrevoar tanto a Praia de Iracema quanto a Praça Minas Gerais.

Um disco cheio de detalhes que te envolvem por completo.

 

 

 

LÉLIS: 
Passeando por cenários regionais, tambores afro-brasileiros e influenciado por ritmos como o reggae, jazz e hip hop, o projeto LÉLIS, idealizado pelo multi-instrumentista Fernando Lélis, lança interpretações acerca dos fenômenos humanos no contexto moderno.

Em duas palavras?  Envolvente e viciante!

Soundcloud:

BERG MENEZES:
Há vida nova no pop rock cearense: Berg Menezes, conhecido pelos trabalhos solo Imperfeito (2013) e Vagabundo (2014), reúne as referências e experiências de 10 anos de carreira em primeiro álbum solo. Intitulado Pedra, o disco traz 12 faixas que vão buscar nos anos 90 sua base, mas que ganham contornos contemporâneos e maduros com guitarras, vozes e sintetizadores cheios de efeitos.

Ora experimentais, ora barulhentas, mas sem nunca perder a poesia.

Spotify:


PROCURANDO KALU:
O baião nordestino, o carimbó paraense, o brega abolerado, o rock experimental aqui se apresentam em roupas e cores, em corpo e movimento, em ritmos e canções, um pouco disso é experimentado no EP “tá na cama” lançado pela banda em 2015.

Não dá pra tirar os olhos, tampouco os ouvidos deles. Hipnotizante!

Soundcloud: